Receitas tradicionais

Grape Street Cafe: o melhor vinho de Las Vegas

Grape Street Cafe: o melhor vinho de Las Vegas

Quando se pensa em Las Vegas, a imagem de um bar de vinhos elegante nem sempre vem à mente, mas isso não significa que não esteja lá.

O Grape Street Café é um bar de vinhos e restaurante no coração de Las Vegas. Embora o vinho que vendem seja de qualidade, o preço é baixo, com muitos pratos especiais, incluindo 50% de desconto em todos os vinhos retirados do restaurante e 50% de desconto no jantar com vinho às segundas-feiras.

Com uma carta de vinhos mais longa do que a maioria dos restaurantes, esta vinícola oferece um vinho para todos os paladares de paladares, incluindo Chiantis e Roses.

Além de sua seleção de vinhos finos, Grape Street também oferece uma lista completa de alimentos para almoço e jantar. As refeições combinam perfeitamente com a sua selecção de vinhos. Os usuários do Yelp elogiam o brie assado e as diferentes seleções de massas.


Os restaurantes em Las Vegas estão cada vez melhores

Luxo e discreto andam de mãos dadas nos melhores resorts-cassino da cidade, onde os novos restaurantes da moda têm tudo a ver com equilíbrio.

Considere a lagosta mapo.

No novo Mott 32 dentro do The Palazzo em Las Vegas, a cabeça de uma lagosta de Boston de meio quilo repousa sobre uma piscina de tofu macio e sedoso e pedaços de carne de lagosta fresca. O prato, que inclui pasta de pimenta, pimenta Sichuan e cravo, é picante e mala mas não de forma esmagadora. A lagosta é a estrela, e o contraste de sabores e texturas entre a lagosta e o tofu é delicioso.

Se você quer a pirotecnia típica da comida de Sichuan, é melhor sair da Strip para uma refeição no Chengdu Taste. Mas o mapo tofu de lagosta Mott 32 & # x2019s é esplêndido à sua maneira. É um lembrete de que comer em um resort-cassino em Las Vegas envolve ingredientes de luxo, mas também equilíbrio. No chef Alan Ji & # x2019s Mott 32, o pato laqueado é o principal evento para muitas mesas, mas você também pode se maravilhar com truques culinários, como bolinhos de sopa quentes e azedos feitos com porco Ib & # xE9rico. Esses bolinhos são definitivamente picantes e picantes, mas os sabores ousados ​​não ofuscam a riqueza da carne de porco de primeira linha.

O equilíbrio provavelmente não é a primeira coisa em que você pensa quando vê um prato de capellini gelado com caviar e folha de ouro. Mas no novo Mr. Coco, o ás mixologista Francesco Lafranconi & # x2019s lounge escondido no Palms, o chef Juventino Magana serve uma massa amanteigada deslumbrante que é completamente harmoniosa com o caviar em cima. A folha de ouro não tem gosto de nada, é claro, de modo que não afeta o sabor deste prato. Este é um êxtase de alta qualidade que você provavelmente vai querer emparelhar com uma taça de champanhe. Magana, que já cozinhou no Jo & # xEBl Robuchon no MGM Grand, diz que planeja fazer carbonara com presunto Ib & # xE9rico de Bellota ultrapremium, que soa pelo menos tão exagerado quanto macarrão com caviar e folha de ouro. Mas sentimos que ele tem as habilidades para se sair bem.

Outra novidade no Palms é Sara & # x2019s, Michael Symon & # x2019s & # x201Cmeateasy & # x201D dentro da Mabel & # x2019s BBQ. Este é um clube de jantar elegante onde um garçom de smoking traz um carrinho com costela defumada. É um restaurante onde um clássico e perfeito linguado Dover com manteiga marrom, alcaparras, salsa e limão é filetado ao lado da mesa. O frango frito da Sara & # x2019s é coberto com trufa preta e mel. O jubileu das cerejas é flambado ao lado da mesa.

Mas talvez nossa coisa favorita sobre Sara & # x2019s seja como você pode canalizar seu Fred Flintstone interior e pedir alguns ossos de costela como entrada. Esses ossos grandes com muita carne presa são rotulados como & # x201Ossos de carne crocante & # x201D no menu. Eles vêm com raiz-forte, salsa, frutas cítricas e chalota. Seu garçom pode recomendar que você comece com uma faca e um garfo antes de usar as mãos. Sinta-se à vontade para roer até que toda a carne acabe. Depois de terminar, há toalhas quentes com limão para suas mãos e rosto. Sara & # x2019s é muito divertido.

Uma coisa divertida sobre Mr. Coco and Sara & # x2019s é que comer assim pode ser considerado uma noite discreta em Las Vegas, especialmente no resort Palms com o enorme Kaos club que abre em 4 de abril e tem DJs como Marshmello e Skrillex. muitos fins de semana. Ver um cantor de salão sensual no Mr. Coco é definitivamente contraprogramação para uma noite de dubstep e socos no Kaos. Esta é uma forma de equilíbrio muito específica de Las Vegas.

Então, no The Venetian, você pode se enfurecer no Tao antes ou depois de saborear os coquetéis Sam Ross no The Dorsey, ou pode se deliciar no novo posto avançado do chef Angelo Auriana & # x2019s The Factory Kitchen. Auriana, que também tem a The Factory Kitchen em L.A. & # X2019s Arts District, é mestre em macarrão. Um exemplo notável de sua proeza é um mandilli di seta incrivelmente verde, uma massa de lenço com pesto de manjericão de amêndoa da Ligúria que tem um gosto tão brilhante quanto parece. Há também muitas carnes assadas exemplares, bem como porchetta que agrada ao público no The Factory Kitchen. Este restaurante oferece todo o tipo de conforto.

No novo Park MGM, você pode comer kimchi jjigae perto da cabine do DJ no Roy Choi & # x2019s Best Friend ou pode dançar depois de saborear coquetéis de mixologistas da lista A no Mark e Jonnie Houston & # x2019s On the Record. Ou você pode se acomodar para uma noite de bife e vinho no Manzo, o meatery Eataly onde a chef Nicole Brisson tem uma grelha a lenha de três camadas usada para preparar cortes fantásticos como costelas envelhecidas da Creekstone Farms. Este é um restaurante de açougueiro & # x201 italiano & # x2019s & # x201D, portanto, as massas incluem um tremendamente delicioso e saudável agnolotti del plin com carne de vaca, porco, medula óssea e trufa preta.


Sommelier Talk: Harley Carbery Knows What Happens in Vegas

"Eu considero fast food 'hospitalidade' tanto quanto três restaurantes com estrelas Michelin", disse Harley Carbery, diretor de vinhos dos icônicos hotéis da Las Vegas Strip, Mandalay Bay e Delano Las Vegas. "Não importa quanto o hóspede está pagando por algo, eles querem a mesma coisa: eles querem ser alimentados, e beber algo bom, e ser felizes quando forem embora."

A filosofia de Carbery reflete seu início humilde na indústria de alimentos e bebidas, trabalhando na Dairy Queen local em sua Colúmbia Britânica natal, mas seu currículo rapidamente o levou muito além do fast food. Depois de estudar hospitalidade na faculdade, Carbery, agora com 38 anos, começou a trabalhar com Fairmont Hotels and Resorts em todo o Canadá, onde sua paixão por vinho decolou.

Mas foram as luzes e a ação de Sin City que realmente animaram Carbery: ele logo seria nomeado diretor de vinhos do L'Atelier de Joël Robuchon e do Joël Robuchon Restaurant no MGM Grand. Em 2013, ele atravessou a rua para gerenciar os programas de vinhos do Mandalay Bay Resort e Casino e Delano Las Vegas, incluindo o restaurante vencedor do Grand Award Aureole Las Vegas e os vencedores do Best of Award of Excellence Fleur de Hubert Keller, RIVEA Las Vegas e Stripsteak . Carbery falou com Wine Spectator A editora assistente Sara Heegaard sobre os vinhos favoritos canadenses, seu momento de maior orgulho como mentor e por que Las Vegas é uma das cidades mais subestimadas da gastronomia e do vinho.

Wine Spectator: Do Canadá, o que o atraiu para Las Vegas?
Harley Carbery: Um grande amigo meu estava trabalhando aqui no Four Seasons em Mandalay Bay, na verdade, e eu vim visitá-lo e ele realmente me convenceu. Eu já tinha estado aqui uma vez e simplesmente me apaixonei pela cena gastronômica e pelos enormes edifícios e restaurantes, e então, é claro, pelo vinho - isso era o mais importante. Vegas, para mim, era o epicentro do mundo do vinho e eu queria fazer parte disso.

WS: Muitas pessoas pensam em Las Vegas mais como um flash do que como uma substância. O que torna a cena gastronômica e de vinhos de Las Vegas séria e especial?
HC: Não há nenhum outro lugar no mundo onde, em um trecho de poucos quilômetros, você pode jantar em restaurantes chefiados por Joël Robuchon, Guy Savoy, Pierre Gagnaire, Michael Mina, Charlie Palmer - você poderia simplesmente continuar com todos os chefs famosos. Todo mundo quer estar aqui, e acho que isso diz algo sobre Las Vegas apenas como um centro de jantar, e às vezes não acho que recebemos o crédito. Está sempre em discussão por trás de Nova York e São Francisco e até mesmo de Los Angeles, mas quando se trata disso, acho que oferecemos tanto, senão mais, do que essas cidades.

WS: Alguma lembrança do vinho se destaca em sua mente como sendo uma mudança em sua vida?
HC: Eu sei o momento em que soube que queria seguir uma carreira no vinho. Quando eu estava em Whistler, o sommelier vendeu à mesma mesa dois dos melhores vinhos que já tive naquela época: um Château Lafite Rothschild de 1982 e um Château Ducru-Beaucaillou de 1982. Ele economizou um pouco de ambos, e eu os provei no final da noite com ele. Ambos simplesmente me surpreenderam. Eu queria saber mais sobre por que eu gostava tanto deles, como eles eram tão bons e o que os fazia o que são. Esse foi o ponto de viragem na minha carreira de comida e bebida, para me tirar do lado da administração do restaurante e me direcionar para o vinho, mais especificamente.

WS: Você já foi mentor de alguém que está buscando um caminho no mundo do vinho?
HC: Acho que sou o mentor de vários, mas aquele de quem mais me orgulho é minha esposa, na verdade. Quando começamos a namorar, ela era garçonete em um restaurante aqui em Vegas, e isso foi há cerca de seis anos. Ao longo dos anos, ela estudou. [Ela foi anteriormente] sommelier em um de nossos restaurantes irmãos aqui em Las Vegas, [vencedor do Best of Award of Excellence] Julian Serrano na Aria, e agora é corretora de vinhos da JC Boisset, Domaine Select Wines e Hudson Wine Brokers. Há muito vinho em nossa casa e estamos constantemente empurrando uns aos outros, o que é divertido.

WS: Qual é a sua combinação favorita de comida e vinho do menu do Aureole Las Vegas?
HC: Sendo da costa oeste, sou um grande fã de salmão, e um prato que está no menu desde que estou aqui é uma tábua de cedro, salmão Ora King — delicioso— [com] vinho tinto, crosta de manteiga, cenouras, polenta. Isso com um ótimo Borgonha tinto é fantástico.

O tártaro de atum ahi com ovo de codorna e molho ponzu de melancia, com uma taça de champanhe Bruno Paillard Premier Cuvée Brut, também é bastante excepcional.

WS: O cenário gastronômico de Las Vegas é muito dinâmico. Como foi o processo de seleção dos vinhos nos novos restaurantes Delano, Rivea e Skyfall Lounge?
HC: No topo do Delano Las Vegas, recentemente renovamos o que antes era o Mix de Alain Ducasse [vencedor do Best of Award of Excellence]. Agora é RIVEA. É um tema mediterrâneo - Riviera Francesa, Italiana - muitos frutos do mar e ingredientes e sabores muito frescos. Eu e a equipe de Ducasse, adquirimos uma série de vinhos dessa área, é claro, mas também, para dar um toque especial, muitos vinhos da costa americana - pensamos em criar uma espécie de "Riviera Americana "porção também: alguns ótimos rosés, variedades italianas e francesas da Califórnia ao lado de seus equivalentes franceses e italianos.

WS: Você está no Aureole Las Vegas desde abril de 2013. Como o programa de vinhos no restaurante evoluiu desde que você chegou?
HC: Com muitos jantares franceses em minha formação com Joël Robuchon, eu aumentei bastante as seleções francesas. Vinhos austríacos e alemães: alguns ótimos Grüner Vetliners Rieslings, do mais doce do doce ao mais seco do seco e tudo mais. Esta é provavelmente uma das melhores seleções do país, senão do mundo. É fantástico. Também é um ótimo lugar para ir para as pessoas que comemoram aniversários, porque temos muitas safras diferentes.

Eu adicionei uma série de vinhos canadenses - não necessariamente os mais vendidos aqui - mas para aqueles que vêm do norte e querem experimentar algo um pouco diferente, eles são definitivamente um sucesso.

WS: Há algum vinho canadense específico que você gostaria de elogiar?
HC: Mission Hill, a vinícola em geral, mas [particularmente] o Oculus, seu tinto de topo, é excelente. O Chardonnay, Pinot Noir, todos os seus vinhos são divertidos. Na verdade, eu trago mais vinho canadense para Nevada do que qualquer outra pessoa, com certeza. Estou muito orgulhoso disso, sendo um orgulhoso canadense.


The M Resort: excelentes vistas e vinho no sip

Infelizmente, o Veloce Cibro não está mais aberto ao público. Talvez um dia em breve, seremos capazes de brindar a vista e desfrutar do esplendor deste excelente restaurante..

Foto de Megan Edwards
Por semanas antes da grande inauguração, o M
O dirigível de alta tecnologia do resort e # 8217s avisa o vale
o que estava vindo

Desde que vi os primeiros guindastes trabalhando na esquina da Las Vegas Boulevard e St. Rose Parkway, achei que iria para a grande inauguração do M Resort and Casino de US $ 1 bilhão. Afinal, fica a apenas três quilômetros da minha casa - praticamente a pé. Mas quando os fogos de artifício começaram a explodir na noite de 1º de março, eu não estava entre os milhares que os assistiram de perto. Mesmo que as inaugurações de cassinos sejam ocasiões icônicas em Las Vegas, evitei o tráfego e as multidões e aproveitei a pirotecnia em meu próprio quintal. Esperei até a manhã seguinte para verificar a propriedade que espera redefinir a Faixa ao estender sua fronteira sul em 11 quilômetros. Na verdade, o M Resort fica dentro dos limites da cidade de Henderson, sendo o único empreendimento no Las Vegas Boulevard que precisa pagar impostos municipais. Todos os outros mega-resorts da Strip estão no condado de Clark, que não foi incorporado em sociedade.

Meu plano era tomar café da manhã no Red Cup Café, a cafeteria 24 horas do resort, mas mudei de ideia quando vi a fila. Metade da população de Henderson esperava por uma mesa, e o resto estava na fila do “Players Club”. Como o M é um lugar para o qual posso voltar com facilidade e frequência, decidi passar minha primeira visita fazendo um passeio a pé em vez de jogar o jogo da espera.

Há muito o que admirar. A arquitetura do M é arejada e aberta, e a decoração apresenta muita pedra natural, madeira, cromo e vidro. Mesmo o cassino, embora projetado para se concentrar em máquinas caça-níqueis e mesas de jogo, tem mais luz e espaço do que a maioria desses locais. As outras áreas públicas, incluindo um grande átrio com vista para a piscina, têm grandes janelas panorâmicas. Enquanto a maioria das propriedades de cassino são mundos em si mesmas, completamente isoladas de seus arredores externos, o M tem vistas em todas as direções:

a Faixa ao norte, a cidade ao leste e as montanhas ao sul e oeste. Embora o falso Egito - ou Paris ou Veneza - seja divertido, é adorável e revigorante andar por um edifício que realmente celebra sua localização. As janelas emolduram graciosamente a beleza do deserto e da Strip, e eu soube naquela primeira manhã que teria que voltar em outra hora para desfrutar da arte natural de um pôr do sol no deserto a partir deste grande novo ponto de vista.

Na minha segunda visita, cheguei por volta das 5 da tarde porque tinha reparado que foi quando abriu o Veloce Cibo, o bar e restaurante no 16º andar da torre do hotel. Estacionei no lado oeste da propriedade e entrei perto do elevador para o restaurante. (Outra característica interessante do M Resort é que não cada A porta leva para o cassino.) Uma pequena multidão se reuniu ao lado do balcão de check-in e não demorou muito para descobrir que a maioria eram habitantes locais que, assim como eu, estavam ansiosos para apreciar a vista e uma taça de vinho no 16º andar.

Veloce Cibo (que significa, divertidamente, "fast food" em inglês) percorre todo o comprimento do último andar do M, dando-lhe uma sensação longa e elegante de barco que é reforçada pelas extremidades cônicas do edifício. Todo o lado norte é de vidro, e cada mesa - mais de 300 delas - tem vista para o vale de Las Vegas. Decidi sentar-me a uma mesa do bar na extremidade oeste do “barco” e, a caminho da minha mesa, avistei uma exposição inusitada de garrafas de vinho. Eles estavam dispostos lado a lado, à maneira de um soldado, para circundar uma máquina reluzente. O que há com isso?

Minha garçonete ficou feliz em explicar.

Foto de Megan Edwards
Uma carta de vinho da Veloce Cibo também pode ser usada
lá embaixo na adega Hostile Grape

Dois bares no M, Veloce Cibo no piso superior e Hostile Grape (outro nome divertido) no piso inferior, apresentam o sistema de servir vinho Enomatic, uma inovação italiana que permite que os clientes sirvam-se de 30 g. e 5 onças "derrama" de uma variedade de vinhos. Primeiro, você obtém um cartão de vinho e carrega-o com algum dinheiro. Deslize seu cartão em um slot em uma máquina Enomatic, e ele deduz o preço de qualquer bebida que você baixar em seu copo (os preços começam em cerca de US $ 2). Copos de vinho limpos estão disponíveis para cada novo vinho que você selecionar, assim como cartas de vinhos que descrevem as várias ofertas, de saquê e Madeira a Riesling e shiraz.

O Veloce Cibo oferece comida de bar e um menu de jantar completo. Naquela primeira noite, optei pela experiência completa, que ficou ainda mais adorável com a mudança de vista conforme o sol se punha e a Strip ganhava vida. Para uma noite tranquila de degustação de vinhos e aperitivos, este lugar é impossível de bater. O menu é uma linha eclética de pratos de sushi e uma grande variedade de “pratos compartilhados” a entradas tradicionais, acompanhamentos, sobremesas e coquetéis especiais. Os preços também estão bem altos. Minha conta da noite foi cerca de metade do que eu teria pago pela mesma experiência mais adiante na Strip. O chef apareceu à minha mesa para se certificar de que tudo estava do meu agrado, e meu garçom foi atencioso e cordial.

Foto de Megan Edwards
Eloise, que trabalha no varejo de vinhos no M
Resort, demonstra como operar o
Sistema enomático

Em minha terceira incursão ao M, finalmente desci abaixo do nível do solo para verificar o Hostile Grape. Fiquei impressionado com a exibição do Enomatic no andar de cima, mas a variedade na adega era simplesmente incrível. Dezenas de garrafas alinhavam-se nas paredes de duas alcovas que circundavam duas ilhas oferecendo ainda mais garrafas. Clientes de aparência feliz perambulavam entre as máquinas, bebericando enquanto discutiam qual safra tentar a seguir. Outros estavam recostados em sofás de couro e no bar em uma sala bem iluminada que parecia uma adega. Depois de provar dois tipos de saquê e conversar com um dos atendentes, eu sabia que era melhor voltar lá para cima. Um bar de vinhos self-service não é um lugar sábio para se demorar, a menos que você tenha um motorista.

Há um pouco mais no M Resort que ainda não experimentei. Para começar, há mais seis restaurantes e vários bares, além de uma confeitaria e sorveteria, uma farmácia de serviço completo, uma espetacular área de piscina, um spa e uma opulenta casa de apostas. A julgar pela vasta floresta de árvores e arbustos que ainda não foram plantados que observei no 16º andar, os jardins paisagísticos do M continuarão a evoluir. Voltarei para assistir - e não apenas porque tenho $ 38,50 restantes na minha carta de vinhos.


Grape Expectations & # 8211 Las Vegas & # 8217s Best Wine Drinking

(Nota ELV: o seguinte artigo foi publicado este mês na revista Desert Companion. Continue lendo abaixo ou clique aqui para vê-lo em seu formato original. Infelizmente, para lê-lo na revista, você terá que se atrapalhar em todos os tipos de conversa fiada sobre uísques, coquetéis e cerveja & # 8212 líquidos inferiores que existem apenas como substitutos fracos (?) para a bebida que você deveria beber.)

EXPECTATIVAS DE UVA - O melhor vinho para beber de Las Vegas

Las Vegas não é realmente uma cidade do tipo “bar de vinhos”. Os bares de vinho geralmente exigem (e promovem) um certo nível de pensamento contemplativo, e Las Vegas geralmente é tão contemplativa quanto uma luta em uma jaula do UFC. Mas isso não significa que não existam lugares fabulosos para se entregar ao seu gosto por uvas fermentadas. O que isso significa é que você tem que ir a alguns de nossos melhores restaurantes para encontrar vinhos (em taça ou garrafa), que vão te deixar boquiaberto. Abaixo estão meus 13 locais de degustação favoritos - lugares onde os grandes sommeliers da nossa cidade se orgulham de servir safras de todo o mundo - vinhos que você pode beber, ou pensar sobre, para o conteúdo da sua uva.

Os vinhos gregos podem ser impronunciáveis, mas também são deliciosos. Eles também estão substancialmente abaixo do preço em comparação com vinhos similares de frutos do mar da França e Itália. Não tente nem mesmo dominar os sussurros estranhos e os rolos de língua de Assyrtiko, Moshofilero ou Mavrodaphne. Basta apontar e sorrir ou pedir ajuda ao pessoal. (Eu prometo que eles não vão tirar sarro de você.) Qualquer pessoa que pedir qualquer coisa além de vinhos gregos com esta comida deve ser sentenciada a um ano de não beber nada além de Harvey Wallbangers.

A lista é tão densa quanto um dicionário e, à primeira vista, não é para os fracos de coração ou parcimoniosos de bolsa. Mas olhe com atenção e você encontrará um número surpreendente de pechinchas por menos de US $ 100. Ou pergunte ao sommelier Phil Park e ele ficará feliz em apontá-los para você. O bar de champanhe é onde você encontrará enófilos sérios lendo a lista meia hora antes de sua reserva, assim como fazem na França.

Esses dois restaurantes irmãos estão a alguns quilômetros de distância, mas conectados por um amor por vinhos brancos que o proprietário Bank Atcharawan trouxe com sucesso para Chinatown. Ambas as listas estão cheias de Rieslings e chardonnays, e a seleção de champanhe na Chada Street envergonha a maioria das listas da Strip, a preços decididamente mais baixos. Não é à toa que todo sommelier em Las Vegas trata esses dois locais como seu clube noturno pessoal.

Uma parede pinot noir, restaurantes à beira do lago e os preços mais baixos da cidade (US $ 10 acima do varejo) fazem do MB uma parada obrigatória em qualquer tour de amantes de vinho em Las Vegas. Jeff e Rhonda Wyatt estão sempre lá para ajudá-lo a escolher um copo ou uma caixa de qualquer táxi convencional ou syrah original que se adapte à sua fantasia. Ou faça o que eu faço: continue com o Burgundy e enlouqueça.

O que adoro nos vinhos italianos é o que adoro nos italianos e na comida italiana - eles são amigáveis, apaixonados, ferozmente regionais e confusos, no bom sentido. Não diferencia os seus Montelcinos dos seus Montepulcianos? Sem problemas, Geno Ferraro está sempre lá para ajudá-lo a analisar os Barbarescos dos Barolos. Uma das maiores listas italianas da América em um de nossos melhores restaurantes italianos.

Eu não entendo vinho espanhol mais do que entendo como José Andrés pode ter tanta energia e tantos restaurantes excelentes. Mas a próxima melhor coisa para saber muito sobre os vinhos de um país é conhecer um sommelier que está ansioso para lhe ensinar. Chloe Helfand é aquela garota em Las Vegas, e ela está sempre lá com um sorriso e um vinho estalante que você não conhece feito com uma uva que você nunca ouviu falar. Essa é uma das razões pelas quais amamos sommeliers. E Chloe.

O programa de vinhos de Mark Hefter é muito parecido com Mark Hefter: divertido, interessante, inteligente e completo. Hefter serviu vinho do Le Cirque 2000 em Nova York para o Spago e o Circo em Las Vegas e, nem é preciso dizer, o homem conhece suas uvas. Com mais de 50 vinhos em taça, ele pode deslumbrar qualquer pessoa, desde o bebedor iniciante ao dedicado enófilo. Mas o que amamos em sua lista é seu ecletismo. Aqui é onde você pode mergulhar nos vinhos mais interessantes do mundo com preços muito acessíveis. Curioso sobre os vinhos rosados ​​e laranja que estão na moda hoje em dia? Aqui está por onde começar.

Se a sua medida de um grande bar de vinhos é o número de vinhos por taça oferecidos, procure outro lugar. Se você avaliar sua degustação de vinhos pela qualidade - da amplitude e profundidade da lista, dos petiscos do bar, da equipe e da mixologia (se você se aventurar no território criativo da bebida) & # 8212, então este é o seu lugar. A lista está convenientemente localizada dentro do menu (enorme), e as marcações não são para os tímidos. Mas a excelência de tudo - dos bifes às massas e às verticais supertoscanas - vai tirar o fôlego.

Robert Parker (sim, aquele Robert Parker) chama a carta de vinhos da Lotus de a maior carta de vinhos alemã na América, e não temos razão para discutir com ele. Também é profundo no saquê, brancos da Alsácia e Grüner Veltliners austríacos - todos combinando (de maneiras surpreendentes) Saipan Chutima's cozinha tailandesa feroz e ardente do país. É aqui que você encontrará quase todos os profissionais de vinho da cidade em seus dias de folga, geralmente em uma mesa gemendo com garrafas de Riesling.

O problema com Sage é que a comida é tão boa que às vezes você se esquece do vinho, e a carta de vinhos é tão boa que às vezes você se esquece da comida. Eu gosto de pinot noir californiano e chardonnay com Shawn McClain & # 8217s tarifa inovadora, mas a lista cobre o mundo em todas as áreas de conseqüência. Escolhas como essa são um enigma feliz de se ter, quer você esteja jantando no salão principal ou relaxando no bar deslumbrante.

Beber um bom vinho nos subúrbios é mais difícil de encontrar do que um canto sem uma franquia de fast food. Hearthstone merece adereços para realmente tendo um programa de vinhos e uma lista que divide de acordo com o caráter varietal - "Big Reds", "Crisp, Clean & amp Lean", "Voluptuous But Light", etc. A seleção por taça é sólida, mas o que realmente chama a nossa atenção é o ½ off especial segunda-feira à noite, que permite beber bastante de algumas garrafas sérias. Esse desconto só conta para garrafas sob um Benjamin, mas se você tiver a moeda, US $ 2.500 por uma garrafa de ‘o5 DRC Echezeaux, ou $ 2.800 por um pouco de Screaming Eagle, também são roubos diretos.

O centro de Las Vegas é tão desafiado pelo vinho que faz Summerlin parecer o Vale do Napa. Em meio a todos os bares e pontos de encontro da moda, porém, este minúsculo espaço em Container Park oferece uma pequena seleção de tintos e brancos interessantes de todo o mundo - a maioria na faixa de US $ 30 a US $ 60. Os esnobes do vinho ficarão desapontados, mas para quem procura uma pausa dos coquetéis artesanais e cafés exóticos, é um oásis.


Grandes vinhos especiais em Las Vegas

Você adora vinho? Você está procurando ótimos vinhos especiais aqui em Las Vegas? Bem, não procure mais. A seguir está uma lista de alguns dos melhores vinhos especiais que nossa grande cidade tem a oferecer. (Preços e horários estão sujeitos a alterações, a administração reserva todos os direitos.) Por favor, ligue para reservas.

Double Helix Wine & amp Whiskey Lounge Praça da cidade - 6599 Las Vegas Blvd S, Unidade 150 Las Vegas, Nevada. (702) 473-5415. Ofertas: segundas-feiras - 1/2 de desconto em garrafas de vinho até $ 99. Quartas-feiras - 1/2 de desconto no vinho do mês, o dia todo.

Judeu Clássico 1-353 E Bonneville Ave, Ste 111 Las Vegas, Nevada. (702) 722-6750. Ofertas: Quartas-feiras de vinho 20% de desconto em garrafas de vinho, 20% de desconto em vinho a copo. (Música ao vivo todas as quartas-feiras).

Hearthstone Kitchen & amp Cellar - 11011 W Charleston Blvd Las Vegas, Nevada. (702) 797-7344. Ofertas: Vino segundas-feiras oferecendo garrafas de vinho pela metade do preço todas as noites todas as segundas-feiras !! (aplicável a vinhos com preço de $ 100 e abaixo).

Crave American Kitchen e Sushi Ba r- 10970 Rosemary Park Dr, Ste 160 Las Vegas, Nevada. (702) 878-5505. Ofertas: 1/2 com preço para todas as garrafas de vinho às terças-feiras, o dia todo.

Salute Trattoria Italiana Red Rock - 11011 W Charleston Blvd, Las Vegas, Nevada. (702) 797-7311. Ofertas: Vinho às quintas-feiras - 50% de desconto em garrafas de vinho todas as quintas-feiras.

Carrabas - 10160 S Eastern Ave, Henderson, Nevada. (702) 990-0650. Ofertas: Vinho às quartas-feiras - US $ 10 de desconto em garrafas de vinho e US $ 5 em taças de vinho.

Carrabas - 8771 W Charleston Blvd, Las Vegas, Nevada. (702) 304-2345. Ofertas: Vinho às quartas-feiras - desconto de $ 10 em garrafas de vinho e $ 5 em taças de vinho.

Mel de sal - 1031 S Rampart Blvd Las Vegas, NV 89145 (702) 445-6100 - Ofertas: quartas-feiras - Desconto em todas as garrafas durante todo o dia.

Kona Grill Boca Park - 750 S Rampart Blvd, Las Vegas, Nevada. (702) 547-5552. Ofertas: Wine Down Wednesday - Metade das garrafas de vinho o dia todo.

Brio Tuscan Grille TIVOLI VILLAGE - 420 South Rampart- Ste. 180 Las Vegas, Nevada. (702) 433-1233. Ofertas: Comece o seu fim de semana mais cedo com um vinho de US $ 5 no bar todas as quintas-feiras!

Praça da cidade Brio Tuscan Grille - 6653 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, Nevada. (702) 914-9145. Ofertas: Comece o fim de semana mais cedo com vinhos de $ 5 servidos todas as quintas-feiras no bar!

M Resort Spa & amp Casino 12300 S Las Vegas Blvd, Henderson, Nevada. (702) 797-1000.

Anthony's Prime Steak & amp frutos do mar - Ofertas: Diariamente 1/3 DE DESCONTO EM TODAS AS GARRAFAS DE VINHO. (Não é válido em conjunto com qualquer outra oferta ou desconto. A administração reserva todos os direitos. Não é válido em qualquer feriado.)

Uva Hostil - Ofertas: Diariamente 1/3 DE DESCONTO EM TODAS AS GARRAFAS DE VINHO. (Não é válido em conjunto com qualquer outra oferta ou desconto. A administração reserva todos os direitos. Não é válido em qualquer feriado.)

Jayde Fuzion - Ofertas: Diariamente 1/3 DE DESCONTO EM TODAS AS GARRAFAS DE VINHO. (Não é válido em conjunto com qualquer outra oferta ou desconto. A administração reserva todos os direitos. Não é válido em qualquer feriado.)

VEJA O WINE BAR & amp COZINHA Tivoli Village - 420 Rampart Suite 150 Las Vegas Nevada. (702) 280-7390. Oferta: "Noites Felizes" das 17h às 20h, oferecendo vinhos de US $ 2 (7 dias por semana)

Hyde - Bellagio 3600 S Las Vegas Blvd, Las Vegas Nevada. (702) 693-8700. Ofertas: Un Wined Wednesday 1/2 Off Select Bottles.

Market Grill Cafe Centennial Hills - 7070 N. durango Dr. Las Vegas, Nevada. (702) 369-0070. Ofertas: 1/2 garrafas de vinho de segunda-feira.

Market Grill Cafe Summerlin - 7175 W. Lake Mead Blvd. Las Vegas, Nevada. (702) 564-7335. Ofertas: 1/2 garrafas de vinho de segunda-feira.

Bottiglia Cucina Enoteca - 2300 Paseo Verde Pkwy. Henderson, Nevada. (702) 617-7075. Oferecendo garrafas de vinho com preços de 1/2 do Vine & amp Dine quinta-feira. (em garrafas de US $ 100 ou menos.)


Ferraro's

Perfil do bar: molho de tomate caseiro com uma dose de limoncello

Bem na saída da Las Vegas Strip, do outro lado da Paradise Road do Hard Rock Hotel, fica um restaurante local chamado Ferraro's, e nós amamos isso. Amamos o ambiente familiar e o fato de que ficam abertos até tarde. Podemos comer alguns gnocci al pesto divinos à meia-noite. Mas o que estamos aqui para mencionar é o vinho. A carta de vinhos é longa e adorável, oferecendo variedades de todo o mundo. E a equipe é mais do que apenas experiente & # 8212, eles se orgulham da capacidade do estabelecimento de oferecer a você a refeição da sua vida. Ferraro's é o lugar para ir quando você quiser sentir que seu gosto em vinho é importante, mesmo se você realmente não sabe do que está falando, porque todos lá vão tratá-lo como uma família. E, mesmo que não seja vinho, presenteie sua mesa com uma dose de limoncello após o jantar. Seu servidor pode até se juntar a você.

Experimente todos os vinhos que deseja na Hostile Grape. Foto cortesia de Hostile Grape.


Jantar do Vinho em Las Vegas - Vega Sicilia

Sem fotos desta vez, mas eu estava em Las Vegas ontem à noite para o & quotwine dinner & quot no Bazaar Meat no SLS Hotel, apresentado por Andy Myers, M.S. (wine director for all of Chef José Andres' restaurants & the Think Food group) and Lucia Ramos Perez, of Europvin -- the importer of Vega Sicilia -- ably assisted by Chloe Helfand, the sommelier of Bazaar Meat.

(Note: all reds were decanted well before service, but I do not know for how long.)

We started the meal off with glasses of n.v. Perrier-Jouët Grand Brut (Champagne, France), poured from magnum and paired with an amuse bouche -- their (in)famous Cotton Candy Foie Gras with crispy Amaranth, a cube of delicious foie, encased in a cloud of freshly-made cotton candy and served on a stick. I admit, this isn't for everyone, but for me, the juxtaposition between the crunchy melt of the cotton candy, and the richness of the foie is just delightful. As for the Champagne, all I can do is repeat Ernest Hemingway's observation, "Champagne always tastes better in magnum, but -- alas! -- it takes longer to cool."

Sitting down to dinner, we began with some of the restaurant's classic appetizers, the Super-Giant Pork Skin Chicharrón, served with Greek yogurt and za'atar spices (though this time broken up into smaller, individual servings) Croquetas de Pollo -- chicken-bechamel fritters and the truly famous Ferran Adrià Olives, Modern & Traditional -- traditional Gordal olives stuffed with piquillo pepper and anchovies, and then the same, puréed and spherified.

This was all paired with the 2013 Oremus "Mandolas" Furmint, dry (Tokaji, Hungary). The owner of Vega Sicilia acquired this estate in 1993, and set about to modernize, improve and recapture the former glory this region enjoyed, but lost under the Communist regime. This wine, unusual for Furmint, is aged in French oak and definitely takes its inspiration from the great white Burgundies of France. It is unlike any other dry Furmint I have ever had, which until now have been rather light and crisp. For me, the jury is still out: the wine is still quite young and primary, but seems to show some fine potential for development with bottle age. I liked this, but there is no way I'd ever guess this was a Furmint.

The next course consisted of another three dishes: the Beef & Parmesan Grissini (raw Washugyu beef, wrapped around breadsticks and served with a Parmesan espuma, and cartelized opinion purée) the Fried Oxtail Steamed Bun (with a red braise) and one of the underrated gems of the menu, the "Beefsteak" Tomato Tartare (tomato, balsamic vinegar, olive oil, cucumber, black olive, and romaine leaves).

To go with these, the 2010 Bodegas Pintia (Toro, Spain) -- produced from vineyards purchased by Vega Sicilia and made from 100 percent Tinta de Toro, the local version of Tempranillo, known for its smaller berries and thicker skins. This is a more rustic, "classic" style of wine yet still possesses a certain elegance and refinement to it and while it will benefit from additional bottle aging, it was showing so beautifully last night. Deep garnet, purple at the rim, the wine is highly aromatic, filled with black fruits, mineral notes, graphite, and sweet cream on the palate, it is round and supple, yet with an edge of mineral and earth to carry the ample blackcurrant and cherry fruit through to the long finish.

Moving on to the next course, we enjoyed the Grilled Pulpo a la Gallega (Galician style octopus with potatoes and pimenton) -- so tender and delicious -- and a Porcelet Pork Rib from St. Canut Farms in Québec and served with a hoisin-cumberland sauce, plus a porchetta-style crispy skin -- amazing!

For this course, we were served the 2009 Bodegas Alión (Ribera del Duero, Spain). This estate, also owned (of course) by Vega Sicilia), also 100 percent Tempranillo -- though in the Ribera del Duero, it is often known by its local name, Tinta del País -- but unlike both the Pintia and Vega Sicilia itself, is produced in a more modern, riper, fleshier style (think "modern" Bordeaux or Napa Cabernet). The wine is purple-black in color, with generous, ripe fruits -- blackcurrants, plums, violets -- not jammy, but edges in that direction, with sweet French oak that compliments rather than dominates on the palate, the wine is plush, velvety, and supple -- generously flavored, with smoky accents, ripe, soft tannins, and a long, lingering finish.

Moving onto the next course, we had The Classic Tartare (Beef sirloin, savory mustard, egg yolk, hp sauce, and anchovy, served on a Parker House roll), and A5 Kobe Eye of Rib from the Hyogo Prefecture of Japan -- presented with an Ishiyaki grilling stone, mustard frill salad and fresh wasabi. Three seconds on a side was perfect!

Here, we were served the 2009 Vega Sicilia Valbuena 5° (Ribera del Duero, Spain). Produced from approximately 80 percent Tempranillo and 20 percent Merlot, this is the kind of wine that makes all conversation at the table stop -- the wine is that commanding, and yet it is inviting and seductive. Ruby-red in color, with spicy and mineral notes in a bouquet of dark berries, cherries, smoke, and toast, with noticeable yet balanced oak there is abundant sweet cherry and black currant fruit in the mouth, coupled with vanilla, anise, smoke, spice, and some mineral accents, with great depth and a sort of restrained power finely integrated tannins, good structure, and a long yet youthful finish. This wine -- <u>not</u> the "second label" of Vega Sicilia, but perhaps a little brother -- is truly stunning.

Next, we were served Rosemary Rib-Eye (Texas Waygu beef, Spanish-style, cooked bone-in over an oak fired grill and sliced after resting), Piquillo Peppers "Julian de Tolosa" (confit piquillo peppers), Setas al Ajillo (button mushroom caps with garlic and lemon), and "Robuchon Potatoes" ("Butter, butter, more butter, some potatoes"). Simply put: I love this restaurant!

And with this course came, at last, the 2003 Vega Sicilia Unico (Ribera del Duero, Spain). Made from approximately 80 percent Tempranillo and 20 percent Cabernet Sauvignon, and aged in both French and American oak, this is truly one of the world's greatest wines. While the Valbuena is inviting, Unico doesn't necessarily care if you like it, but it will reveal itself to you if you make the effort to understand. I know that sounds almost silly, but Vega Sicilia is, in some ways, like Burgundy -- a lot of people when they start out don't "get" Pinot Noir (and especially Burgundy!), whereas Cabernet is far more accessible (and obvious). This was one of those wines that you remember forever . . .

With a dessert course that included Spanish flan, chantilly cream puff, and a golden ingot bon bon, we returned to Hungary for the 2011 Oremus Late Harvest Tokaji (Tokaji, Hungary). Unlike the classic, traditional Tokaji Azsú -- where the number of puttonyos (buckets of dried berries), from 3 to 6, are added to the must and indicated on the label -- this is a different style of Tokaji. Not the full, rich, syrupy sweet wine, this is a brighter style of late harvest -- lemons, limes, crystallized ginger, candied orange zest, and bright acidity make this wine quite lively on the palate.


The Unknown Grape

Over the years, my wine journey has gone down many roads, through multiple countries and certainly with different mindsets. In the same way that I view travel, I feel there’s so much to experience and even more to taste when it comes to wine. As much as I’d like to fancy myself “a white wine connoisseur,” I’m really just an experienced drinker. After watching The Somm earlier this year, I think it’s safe to say I am nowhere near expert level. I couldn’t tell you if something tastes like quince, white linen, or flint, but I posso tell you if I like it or not.

After years of sticking with labels I knew and literally drinking what seemed like every single Pinot Grigio under the sun, I started branching out and trying new grape varietals. And I’m so glad I did! There’s a huge world out there. No one should get stuck drinking one kind of wine. My current favorites are all dry, un-oaked, everyday white wines that pair easily with different foods. The majority are from France and Italy, but I’ve found some Spanish, German, Austrian and even Greek wines that I’ll save for another post. Here are some lesser known grape varieties that are worth trying. I recommend focusing on the varietal as opposed to the actual vineyard, that way you’re bound to find something similar.

MUSCADET – This is an inexpensive and easy to drink French wine from the Loire Valley. Light-bodied and dry, it’s the perfect place to start when looking for an alternative to Pinot Grigio. I’d say it goes with just about everything, but it’s known for being the perfect compliment to oysters and other seafood. The NY Times recently published an article about Muscadet making a comeback and I was really chuffed to have already been on the pulse. The two listed above are super affordable and easy to find, but there are many fancier versions also worth seeking out.

FALANGHINA – I’ve written about my love for Falanghina in the past. I discovered it many years ago and have yet to drink a bottle I didn’t like. It’s a fantastic, ancient grape grown in the Campania region of Southern Italy. I was hoping to visit a vineyard while we were there this past summer but unfortunately it didn’t happen. It’s one of those wines I order whenever I see it listed on a menu. The only problem is that it can be tricky to find. Other notable wineries to look for are: Terredora diPaolo and Feudi di San Gregorio.

ROERO ARNEIS – I learned about this Italian wine last year at my children’s piano recital. It was completely new to me and I immediately pulled the host over to find out more about it. Forget the piano music! Let’s talk about this wine… I’m pretty sure they wanted to keep it a secret but I believe in spreading the good word. The Arneis grape originated in Piemonte hundreds of years ago. Arneis means “little rascal” as the grape can be quite difficult to grow, which might explain for it’s obscurity. It’s more of a medium-full bodied, straw colored, aromatic white compared to the other wines listed. Although it can be found in other parts of the world, including America, the best reportedly come from the hilly Roero district.

JACQUÈRE – Thanks to a recent dinner party, this was an exciting, new discovery and perhaps one of the most frustrating wines I’ve ever tried to locate. I think I may have bought the last 6 bottles of this particular (pictured) wine in the country. But if by some wild chance you can find a Jacquère wine from the Savoie region of Eastern France, TRY IT. From what I’ve learned, it’s infrequently distributed outside of this alpine area, which accounts for it’s rare appearance in the United States. I may just have to head to France to check it out in person.

I hope you enjoy trying these lesser known white wines. Be sure to let me know of any worthy discoveries you make. I am always on the lookout for something different. Cin Cin!


The Best Deal in Las Vegas Is This New 'Bottomless' Dim Sum Brunch

The blowout feast at Mott 32 includes all-you-can-eat Iberico pork and truffles.

The new 𠇋ottomless brunch” at Mott 32 in Las Vegas is truly dim sum and then some. The wild $58-per-person Sunday brunch, which started on January 12 at the high-end Chinese restaurant inside The Palazzo, begins with an assortment of rarefied dim sum, including excellent har gow made with king prawns and garlic chives. Deeply black bamboo-charcoal buns are sugar-coated and filled with barbecue Iberico pork, and there are South Australian scallop dumplings topped with caviar and gold leaf.

Next comes your choice of unlimited signature items that include seafood, meat, soup, rice, noodles, vegetables, and desserts. Standout options include sesame prawn toast and an ultra-luxurious preparation of barbecue Iberico pork that features shaved black truffles along with scrambled eggs. So, yes, Vegas now has a restaurant with all-you-can-eat Iberico pork and truffles.

This experience is a lot more civilized than a buffet. There’s no need to shove people who are asking too many questions and holding up the line at a carving station. You don’t have to start running when you see a hotel pan filled with premium seafood. You order from your server. You have up to two hours to eat as much as you want. For $35, you can add a 𠇏ree-flow beverage package” with specialty cocktails, Moët and Chandon Champagne, and a mocktail.

To answer what’s probably your primary question: Mott 32’s famous applewood-roasted Peking duck isn’t available at brunch. But at least you can enjoy rice-vermicelli soup with pickled mustard greens and shredded duck as part of your brunch feast. And Mott 32 has plenty of other great brunch options for aggressive carnivores: There’s beef tendon with a soft smoked tea egg crispy roasted pork belly fried mashed potatoes with short ribs and cold free-range chicken with Sichuan peppercorns and chile sauce.

Mott 32, by the way, is next to Majordomo Meat & Fish, where David Chang plans to turn his back room into a “meat house” that might offer a buffet. The Palazzo feels like it could really be the place for all-you-can-eat extravaganzas in 2020.


Assista o vídeo: The Alan Parsons Project - Eye In The Sky Full Album 1982 (Janeiro 2022).