Receitas tradicionais

Corporações oferecem produtos frescos por meio da agricultura comunitária

Corporações oferecem produtos frescos por meio da agricultura comunitária

Nova tendência permite que os escritórios importem produtos frescos por meio da agricultura apoiada pela comunidade

Alimentos gordurosos e refeições congeladas no escritório estão fora: Escritórios da cidade de Nova York agora oferece produtos frescos e orgânicos da mais nova tendência para locavores, a agricultura apoiada pela comunidade.

O New York Daily News relata que grandes empresas, como NBC, J.Crew e a firma de arquitetura Kohn Pederson Fox, aderiram ao movimento CSA para trazer vegetais cultivados diretamente para os cubículos dos funcionários. As empresas de Manhattan que fornecem serviços CSA, como a Great Performances (que obtém alimentos das fazendas Katchkie em Hinderhook, N.Y.), viram seus clientes dobrar e triplicar no ano passado. Conforme o movimento CSA continua a crescer, diz o CEO da Great Performance, Liz Neumark, "faz sentido trazê-lo para o local de trabalho".

Nova York dificilmente é a primeira cidade a ver o salto dos serviços da CSA. Colorado's mercado para CSAs começou a crescer em 2010, com os escritórios da GE em Boulder liderando o caminho. E um novo Houston CSA, chamado Entrega na Quinta, oferece os mesmos serviços porta a porta para escritórios e residências por menos de US $ 40 por semana. E como o número de CSAs continua a crescer (Rochester's Democrat and Chronicle estima que haja cerca de 6.500 em todo o país), pode-se apenas supor que o número de CSAs no local de trabalho também aumentará.

A única desvantagem de um CSA? Nem sempre você pode escolher o que vai comprar (ruim para os compradores que gostam de planejar as refeições). Normalmente, uma entrega conterá o que estiver na estação e o que for local. Resumindo, não conte com bananas ou avacados em uma entrega de CSA em Manhattan. Ainda assim, é melhor ir para Walmart para produtos locais.


Os vegetais aceitam rosquinhas de escritório quando as fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma forma de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar almoços e lanches saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, jornal online dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2007, quando o Farm To Work começou, e 2012, cerca de 37.500 cestas de produtos foram adquiridas por meio do programa e a participação aumentou com o tempo. (Cerca de 900 cestas também foram distribuídas gratuitamente.)

O sal

Os EUA não têm o suficiente dos vegetais que devemos comer

Ao contrário de um modelo CSA padrão, os participantes não são obrigados a pagar uma quantia total inicial ou se comprometer a comprar todas as semanas. Em vez disso, eles podem se inscrever para receber produtos em qualquer semana. Os preços das caixas têm variado ao longo dos anos, mas agora custam US $ 20 cada. (O peso das caixas varia por semana.)

Hoje, a Farm to Work, que começou conectando apenas uma fazenda aos Serviços de Saúde do Departamento de Estado do Texas, tem 10 agricultores e 49 locais de trabalho. De 200 a cerca de 2.000 funcionários participam em cada local. Há uma lista de espera de empregadores em Austin e o modelo foi expandido para San Antonio e Houston.

O sal

Comunidades aumentam conforme as vendas locais de alimentos sobem para US $ 11 bilhões por ano

O sal

O que é agricultura apoiada pela comunidade? A resposta está sempre mudando

Embora alguns participantes do Farm to Work comam localmente, a maioria são novos recrutas do movimento local de alimentos frescos - e são mais propensos a ir ao supermercado, diz Andrew Smiley, vice-diretor do Centro de Alimentos Sustentáveis ​​sem fins lucrativos e um dos fundadores do programa. O objetivo do programa, diz Smiley, é "tornar saudável a escolha fácil".

Um primeiro passo para fazer isso, a equipe de Smiley percebeu, era simplesmente conscientizar as pessoas sobre as opções locais de alimentos, levando alimentos diretamente para elas em seus locais de trabalho - o que o programa fez com a ajuda de fundos do CDC. Outra etapa foi ensinar às pessoas o que fazer com vegetais estranhos na caixa, como couve-rábano e folhas de bok choi. Então Farm to Work postou receitas online. Smiley diz que sua equipe descobriu que cerca de um terço dos clientes em um determinado mês são compradores regulares - um número surpreendentemente alto, dada a dificuldade de mudar os hábitos alimentares das pessoas.

Outros grupos em todo o país também estão investigando esquemas de entrega de produtos no local de trabalho. Enquanto alguns se aproximam do modelo CSA tradicional, outros estão experimentando configurações totalmente diferentes.

O Farm Fresh Program em Bellingham, Wash., Conecta fazendeiros locais a empregadores interessados ​​em receber entregas semanais. Em alguns casos, diz Becca Taber, coordenadora de associação da Sustainable Connections, a organização sem fins lucrativos que ajuda a conectar agricultores e empregadores, um empregador paga o custo da associação adiantado e, em seguida, faz deduções graduais dos contracheques dos empregadores. (Um motivo pelo qual os fazendeiros em Austin podem renunciar ao pagamento da quantia inicial é a temporada de cultivo durante todo o ano, afirma Smiley.)

Enquanto isso, o programa Farm2Work em Arkansas conecta fornecedores locais de produtos agrícolas, carnes, ovos, laticínios, tortas, geleias e geléias aos empregadores da área. Os trabalhadores podem personalizar sua cesta inteira e recebê-la em seu local de trabalho ou buscá-la em uma igreja local.

Adirondack Harvest, uma filial da Cornell Cooperative Extension no estado de Nova York, ajudou um único agricultor a se conectar com os empregadores da área. A próxima etapa, diz Teresa Whalen, a representante do capítulo sul do grupo, é tentar persuadir as seguradoras a subsidiar os CSAs no local de trabalho da mesma forma que estão começando a subsidiar associações em academias.

De volta ao Texas, Smiley diz que, se nada mais, muito mais pessoas na região agora sabem o que significa comer produtos locais frescos. “Quando o caminhão da fazenda chega na frente do prédio e descarrega 50 caixas de produtos frescos, as pessoas tendem a ver isso”, diz ele. "É a consciência na sua cara."


Os vegetais aceitam rosquinhas de escritório quando as fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma forma de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar lanches e almoços saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, jornal online dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2007, quando o Farm To Work começou, e 2012, cerca de 37.500 cestas de produtos foram adquiridas por meio do programa e a participação aumentou com o tempo. (Cerca de 900 cestas também foram distribuídas gratuitamente.)

O sal

Os EUA não têm o suficiente dos vegetais que devemos comer

Ao contrário de um modelo CSA padrão, os participantes não são obrigados a pagar uma quantia total inicial ou se comprometer a comprar todas as semanas. Em vez disso, eles podem se inscrever para receber produtos em qualquer semana. Os preços das caixas têm variado ao longo dos anos, mas agora custam US $ 20 cada. (O peso das caixas varia por semana.)

Hoje, a Farm to Work, que começou conectando apenas uma fazenda aos Serviços de Saúde do Departamento de Estado do Texas, tem 10 agricultores e 49 locais de trabalho. De 200 a cerca de 2.000 funcionários participam em cada local. Há uma lista de espera de empregadores em Austin e o modelo foi expandido para San Antonio e Houston.

O sal

Comunidades aumentam conforme as vendas locais de alimentos sobem para US $ 11 bilhões por ano

O sal

O que é agricultura apoiada pela comunidade? A resposta está sempre mudando

Embora alguns participantes do Farm to Work comam localmente, a maioria são novos recrutas do movimento local de alimentos frescos - e são mais propensos a ir ao supermercado, diz Andrew Smiley, vice-diretor do Centro de Alimentos Sustentáveis ​​sem fins lucrativos e um dos fundadores do programa. O objetivo do programa, diz Smiley, é "tornar saudável a escolha fácil".

Um primeiro passo para fazer isso, a equipe de Smiley percebeu, era simplesmente conscientizar as pessoas sobre as opções locais de alimentos, levando alimentos diretamente para elas em seus locais de trabalho - o que o programa fez com a ajuda de fundos do CDC. Outra etapa foi ensinar às pessoas o que fazer com vegetais estranhos na caixa, como couve-rábano e folhas de bok choi. Então Farm to Work postou receitas online. Smiley diz que sua equipe descobriu que cerca de um terço dos clientes em um determinado mês são compradores regulares - um número surpreendentemente alto, dada a dificuldade de mudar os hábitos alimentares das pessoas.

Outros grupos em todo o país também estão investigando esquemas de entrega de produtos no local de trabalho. Enquanto alguns se aproximam do modelo CSA tradicional, outros estão experimentando configurações totalmente diferentes.

O Farm Fresh Program em Bellingham, Wash., Conecta fazendeiros locais a empregadores interessados ​​em receber entregas semanais. Em alguns casos, diz Becca Taber, coordenadora de associação da Sustainable Connections, a organização sem fins lucrativos que ajuda a conectar agricultores e empregadores, um empregador paga o custo da associação adiantado e, em seguida, faz deduções graduais dos contracheques dos empregadores. (Um motivo pelo qual os fazendeiros em Austin podem renunciar ao pagamento da quantia inicial é a temporada de cultivo durante todo o ano, afirma Smiley.)

Enquanto isso, o programa Farm2Work em Arkansas conecta fornecedores locais de produtos agrícolas, carnes, ovos, laticínios, tortas, geleias e geléias aos empregadores da área. Os trabalhadores podem personalizar sua cesta inteira e recebê-la em seu local de trabalho ou buscá-la em uma igreja local.

Adirondack Harvest, uma filial da Cornell Cooperative Extension no estado de Nova York, ajudou um único agricultor a se conectar com os empregadores da área. A próxima etapa, diz Teresa Whalen, a representante do capítulo sul do grupo, é tentar persuadir as seguradoras a subsidiar os CSAs no local de trabalho da mesma forma que estão começando a subsidiar associações em academias.

De volta ao Texas, Smiley diz que, se nada mais, muito mais pessoas na região agora sabem o que significa comer produtos locais frescos. “Quando o caminhão da fazenda chega na frente do prédio e descarrega 50 caixas de produtos frescos, as pessoas tendem a ver isso”, diz ele. "É a consciência na sua cara."


Legumes comem rosquinhas de escritório quando fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma maneira de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar lanches e almoços saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, jornal online dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2007, quando o Farm To Work começou, e 2012, cerca de 37.500 cestas de produtos foram adquiridas por meio do programa e a participação aumentou com o tempo. (Cerca de 900 cestas também foram distribuídas gratuitamente.)

O sal

Os EUA não têm o suficiente dos vegetais que devemos comer

Ao contrário de um modelo CSA padrão, os participantes não são obrigados a pagar uma quantia total inicial ou se comprometer a comprar todas as semanas. Em vez disso, eles podem se inscrever para receber produtos em qualquer semana. Os preços das caixas têm variado ao longo dos anos, mas agora custam US $ 20 cada. (O peso das caixas varia por semana.)

Hoje, a Farm to Work, que começou conectando apenas uma fazenda aos Serviços de Saúde do Departamento de Estado do Texas, tem 10 agricultores e 49 locais de trabalho. De 200 a cerca de 2.000 funcionários participam em cada local. Há uma lista de espera de empregadores em Austin e o modelo foi expandido para San Antonio e Houston.

O sal

Comunidades aumentam conforme as vendas locais de alimentos sobem para US $ 11 bilhões por ano

O sal

O que é agricultura apoiada pela comunidade? A resposta está sempre mudando

Embora alguns participantes do Farm to Work comam localmente, a maioria são novos recrutas do movimento local de alimentos frescos - e são mais propensos a ir ao supermercado, diz Andrew Smiley, vice-diretor do Centro de Alimentos Sustentáveis ​​sem fins lucrativos e um dos fundadores do programa. O objetivo do programa, diz Smiley, é "tornar saudável a escolha fácil".

Um primeiro passo para fazer isso, a equipe de Smiley percebeu, era simplesmente conscientizar as pessoas sobre suas opções locais de alimentos, levando alimentos diretamente para elas em seus locais de trabalho - o que o programa fez com a ajuda de financiamento do CDC. Outra etapa foi ensinar às pessoas o que fazer com vegetais estranhos na caixa, como couve-rábano e folhas de bok choi. Então Farm to Work postou receitas online. Smiley diz que sua equipe descobriu que cerca de um terço dos clientes em um determinado mês são compradores regulares - um número surpreendentemente alto, dada a dificuldade de mudar os hábitos alimentares das pessoas.

Outros grupos em todo o país também estão investigando esquemas de entrega de produtos no local de trabalho. Enquanto alguns se aproximam do modelo CSA tradicional, outros estão experimentando configurações totalmente diferentes.

O Farm Fresh Program em Bellingham, Wash., Conecta fazendeiros locais a empregadores interessados ​​em receber entregas semanais. Em alguns casos, diz Becca Taber, coordenadora de associação da Sustainable Connections, a organização sem fins lucrativos que ajuda a conectar agricultores e empregadores, um empregador paga o custo da associação adiantado e, em seguida, faz deduções graduais dos contracheques dos empregadores. (Um motivo pelo qual os fazendeiros em Austin podem renunciar ao pagamento da quantia inicial é a temporada de cultivo durante todo o ano, afirma Smiley.)

Enquanto isso, o programa Farm2Work em Arkansas conecta fornecedores locais de produtos agrícolas, carnes, ovos, laticínios, tortas, geleias e geléias aos empregadores da área. Os trabalhadores podem personalizar sua cesta inteira e recebê-la em seu local de trabalho ou buscá-la em uma igreja local.

Adirondack Harvest, uma filial da Cornell Cooperative Extension no estado de Nova York, ajudou um único agricultor a se conectar com os empregadores da área. A próxima etapa, diz Teresa Whalen, a representante do capítulo sul do grupo, é tentar persuadir as seguradoras a subsidiar os CSAs no local de trabalho da mesma forma que estão começando a subsidiar associações em academias.

De volta ao Texas, Smiley diz que, se nada mais, muito mais pessoas na região agora sabem o que significa comer produtos locais frescos. “Quando o caminhão da fazenda chega na frente do prédio e descarrega 50 caixas de produtos frescos, as pessoas tendem a ver isso”, diz ele. "É a consciência na sua cara."


Os vegetais aceitam rosquinhas de escritório quando as fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma maneira de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar almoços e lanches saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, jornal online dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2007, quando o Farm To Work começou, e 2012, cerca de 37.500 cestas de produtos foram adquiridas por meio do programa e a participação aumentou com o tempo. (Cerca de 900 cestas também foram distribuídas gratuitamente.)

O sal

Os EUA não têm o suficiente dos vegetais que devemos comer

Ao contrário de um modelo CSA padrão, os participantes não são obrigados a pagar uma quantia total inicial ou se comprometer a comprar todas as semanas. Em vez disso, eles podem se inscrever para receber produtos em qualquer semana. Os preços das caixas têm variado ao longo dos anos, mas agora custam US $ 20 cada. (O peso das caixas varia por semana.)

Hoje, a Farm to Work, que começou conectando apenas uma fazenda aos Serviços de Saúde do Departamento de Estado do Texas, tem 10 agricultores e 49 locais de trabalho. De 200 a cerca de 2.000 funcionários participam em cada local. Há uma lista de espera de empregadores em Austin e o modelo foi expandido para San Antonio e Houston.

O sal

Comunidades aumentam conforme as vendas locais de alimentos sobem para US $ 11 bilhões por ano

O sal

O que é agricultura apoiada pela comunidade? A resposta está sempre mudando

Embora alguns participantes do Farm to Work comam localmente, a maioria são novos recrutas do movimento local de alimentos frescos - e são mais propensos a ir ao supermercado, diz Andrew Smiley, vice-diretor do Centro de Alimentos Sustentáveis ​​sem fins lucrativos e um dos fundadores do programa. O objetivo do programa, diz Smiley, é "tornar saudável a escolha fácil".

Um primeiro passo para fazer isso, a equipe de Smiley percebeu, era simplesmente conscientizar as pessoas sobre as opções locais de alimentos, levando alimentos diretamente para elas em seus locais de trabalho - o que o programa fez com a ajuda de fundos do CDC. Outra etapa foi ensinar às pessoas o que fazer com vegetais estranhos na caixa, como couve-rábano e folhas de bok choi. Então Farm to Work postou receitas online. Smiley diz que sua equipe descobriu que cerca de um terço dos clientes em um determinado mês são compradores regulares - um número surpreendentemente alto, dada a dificuldade de mudar os hábitos alimentares das pessoas.

Outros grupos em todo o país também estão investigando esquemas de entrega de produtos no local de trabalho. Enquanto alguns se aproximam do modelo CSA tradicional, outros estão experimentando configurações totalmente diferentes.

O Farm Fresh Program em Bellingham, Wash., Conecta fazendeiros locais a empregadores interessados ​​em receber entregas semanais. Em alguns casos, diz Becca Taber, coordenadora de associação da Sustainable Connections, a organização sem fins lucrativos que ajuda a conectar agricultores e empregadores, um empregador paga o custo da associação adiantado e, em seguida, faz deduções graduais dos contracheques dos empregadores. (Um motivo pelo qual os fazendeiros em Austin podem renunciar ao pagamento da quantia inicial é a temporada de cultivo durante todo o ano, afirma Smiley.)

Enquanto isso, o programa Farm2Work em Arkansas conecta fornecedores locais de produtos agrícolas, carnes, ovos, laticínios, tortas, geleias e geléias aos empregadores da área. Os trabalhadores podem personalizar sua cesta inteira e recebê-la em seu local de trabalho ou buscá-la em uma igreja local.

Adirondack Harvest, uma filial da Cornell Cooperative Extension no estado de Nova York, ajudou um único agricultor a se conectar com os empregadores da área. A próxima etapa, diz Teresa Whalen, a representante do capítulo sul do grupo, é tentar persuadir as seguradoras a subsidiar os CSAs no local de trabalho da mesma forma que estão começando a subsidiar associações em academias.

De volta ao Texas, Smiley diz que, se nada mais, muito mais pessoas na região agora sabem o que significa comer produtos locais frescos. “Quando o caminhão da fazenda chega na frente do prédio e descarrega 50 caixas de produtos frescos, as pessoas tendem a ver isso”, diz ele. "É a consciência na sua cara."


Os vegetais aceitam rosquinhas de escritório quando as fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma maneira de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar lanches e almoços saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, um jornal online dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2007, quando começou o Farm To Work, e 2012, cerca de 37.500 cestas de produtos foram adquiridas por meio do programa e a participação aumentou com o tempo. (Cerca de 900 cestas também foram distribuídas gratuitamente.)

O sal

Os EUA não têm o suficiente dos vegetais que devemos comer

Ao contrário de um modelo CSA padrão, os participantes não são obrigados a pagar uma quantia total inicial ou se comprometer a comprar todas as semanas. Em vez disso, eles podem se inscrever para receber produtos em qualquer semana. Os preços das caixas têm variado ao longo dos anos, mas agora custam US $ 20 cada. (O peso das caixas varia por semana.)

Hoje, a Farm to Work, que começou conectando apenas uma fazenda aos Serviços de Saúde do Departamento de Estado do Texas, tem 10 agricultores e 49 locais de trabalho. De 200 a cerca de 2.000 funcionários participam em cada local. Há uma lista de espera de empregadores em Austin e o modelo foi expandido para San Antonio e Houston.

O sal

Comunidades aumentam conforme as vendas locais de alimentos sobem para US $ 11 bilhões por ano

O sal

O que é agricultura apoiada pela comunidade? A resposta está sempre mudando

Embora alguns participantes do Farm to Work comam localmente, a maioria são novos recrutas do movimento local de alimentos frescos - e são mais propensos a ir ao supermercado, diz Andrew Smiley, vice-diretor do Centro de Alimentos Sustentáveis ​​sem fins lucrativos e um dos fundadores do programa. O objetivo do programa, diz Smiley, é "tornar saudável a escolha fácil".

Um primeiro passo para fazer isso, a equipe de Smiley percebeu, era simplesmente conscientizar as pessoas sobre as opções locais de alimentos, levando alimentos diretamente para elas em seus locais de trabalho - o que o programa fez com a ajuda de fundos do CDC. Outra etapa foi ensinar às pessoas o que fazer com vegetais estranhos na caixa, como couve-rábano e folhas de bok choi. Então Farm to Work postou receitas online. Smiley diz que sua equipe descobriu que cerca de um terço dos clientes em um determinado mês são compradores regulares - um número surpreendentemente alto, dada a dificuldade de mudar os hábitos alimentares das pessoas.

Outros grupos em todo o país também estão investigando esquemas de entrega de produtos no local de trabalho. Enquanto alguns se aproximam do modelo CSA tradicional, outros estão experimentando configurações totalmente diferentes.

O Farm Fresh Program em Bellingham, Wash., Conecta fazendeiros locais a empregadores interessados ​​em receber entregas semanais. Em alguns casos, diz Becca Taber, coordenadora de associação da Sustainable Connections, a organização sem fins lucrativos que ajuda a conectar agricultores e empregadores, um empregador paga o custo da associação adiantado e, em seguida, faz deduções graduais dos contracheques dos empregadores. (Um motivo pelo qual os fazendeiros em Austin podem renunciar ao pagamento da quantia inicial é a temporada de cultivo durante todo o ano, afirma Smiley.)

Enquanto isso, o programa Farm2Work em Arkansas conecta fornecedores locais de produtos agrícolas, carnes, ovos, laticínios, tortas, geleias e geléias aos empregadores da área. Os trabalhadores podem personalizar sua cesta inteira e recebê-la em seu local de trabalho ou buscá-la em uma igreja local.

Adirondack Harvest, uma filial da Cornell Cooperative Extension no estado de Nova York, ajudou um único agricultor a se conectar com os empregadores da área. A próxima etapa, diz Teresa Whalen, a representante do capítulo sul do grupo, é tentar persuadir as seguradoras a subsidiar os CSAs no local de trabalho da mesma forma que estão começando a subsidiar associações em academias.

De volta ao Texas, Smiley diz que, se nada mais, muito mais pessoas na região agora sabem o que significa comer produtos locais frescos. “Quando o caminhão da fazenda chega na frente do prédio e descarrega 50 caixas de produtos frescos, as pessoas tendem a ver isso”, diz ele. "É a consciência na sua cara."


Os vegetais aceitam rosquinhas de escritório quando as fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma maneira de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar lanches e almoços saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, jornal online dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, entre 2007, quando o Farm To Work começou, e 2012, cerca de 37.500 cestas de produtos foram adquiridas por meio do programa e a participação aumentou com o tempo. (Cerca de 900 cestas também foram distribuídas gratuitamente.)

O sal

Os EUA não têm o suficiente dos vegetais que devemos comer

Ao contrário de um modelo CSA padrão, os participantes não são obrigados a pagar uma quantia total inicial ou se comprometer a comprar todas as semanas. Em vez disso, eles podem se inscrever para receber produtos em qualquer semana. Os preços das caixas têm variado ao longo dos anos, mas agora custam US $ 20 cada. (O peso das caixas varia por semana.)

Hoje, a Farm to Work, que começou conectando apenas uma fazenda aos Serviços de Saúde do Departamento de Estado do Texas, tem 10 agricultores e 49 locais de trabalho. De 200 a cerca de 2.000 funcionários participam em cada local. Há uma lista de espera de empregadores em Austin e o modelo foi expandido para San Antonio e Houston.

O sal

Comunidades aumentam conforme as vendas locais de alimentos sobem para US $ 11 bilhões por ano

O sal

O que é agricultura apoiada pela comunidade? A resposta está sempre mudando

Embora alguns participantes do Farm to Work comam localmente, a maioria são novos recrutas do movimento local de alimentos frescos - e são mais propensos a ir ao supermercado, diz Andrew Smiley, vice-diretor do Centro de Alimentos Sustentáveis ​​sem fins lucrativos e um dos fundadores do programa. O objetivo do programa, diz Smiley, é "tornar saudável a escolha fácil".

Um primeiro passo para fazer isso, a equipe de Smiley percebeu, era simplesmente conscientizar as pessoas sobre as opções locais de alimentos, levando alimentos diretamente para elas em seus locais de trabalho - o que o programa fez com a ajuda de fundos do CDC. Outra etapa foi ensinar às pessoas o que fazer com vegetais estranhos na caixa, como couve-rábano e folhas de bok choi. Então Farm to Work postou receitas online. Smiley diz que sua equipe descobriu que cerca de um terço dos clientes em um determinado mês são compradores regulares - um número surpreendentemente alto, dada a dificuldade de mudar os hábitos alimentares das pessoas.

Outros grupos em todo o país também estão investigando esquemas de entrega de produtos no local de trabalho. Enquanto alguns se aproximam do modelo CSA tradicional, outros estão experimentando configurações totalmente diferentes.

O Farm Fresh Program em Bellingham, Wash., Conecta fazendeiros locais a empregadores interessados ​​em receber entregas semanais. Em alguns casos, diz Becca Taber, coordenadora de associação da Sustainable Connections, a organização sem fins lucrativos que ajuda a conectar agricultores e empregadores, um empregador paga o custo da associação adiantado e, em seguida, faz deduções graduais dos contracheques dos empregadores. (Um motivo pelo qual os fazendeiros em Austin podem renunciar ao pagamento da quantia inicial é a temporada de cultivo durante todo o ano, afirma Smiley.)

Enquanto isso, o programa Farm2Work em Arkansas conecta fornecedores locais de produtos agrícolas, carnes, ovos, laticínios, tortas, geleias e geléias aos empregadores da área. Os trabalhadores podem personalizar sua cesta inteira e recebê-la em seu local de trabalho ou buscá-la em uma igreja local.

Adirondack Harvest, uma filial da Cornell Cooperative Extension no estado de Nova York, ajudou um único agricultor a se conectar com os empregadores da área. A próxima etapa, diz Teresa Whalen, a representante do capítulo sul do grupo, é tentar persuadir as seguradoras a subsidiar os CSAs no local de trabalho da mesma forma que estão começando a subsidiar associações em academias.

De volta ao Texas, Smiley diz que, se nada mais, muito mais pessoas na região agora sabem o que significa comer produtos locais frescos. “Quando o caminhão da fazenda chega na frente do prédio e descarrega 50 caixas de produtos frescos, as pessoas tendem a ver isso”, diz ele. "É a consciência na sua cara."


Vegetais comem rosquinhas de escritório quando fazendas se conectam com os trabalhadores

Um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários no centro do Texas recolherem cestas de produtos locais no escritório.

JoAnn Santangelo / Centro de Alimentação Sustentável

Os empregadores sabem há muito tempo que uma maneira de chegar ao coração dos funcionários é por meio de seus estômagos.

Mas, atualmente, os empregadores estão dando aos funcionários não apenas donuts, mas também vegetais frescos - um esforço para garantir que esses corações estejam saudáveis. As empresas de tecnologia estão contratando chefs profissionais para preparar almoços e lanches saudáveis. E no Texas, um programa chamado Farm To Work está tornando mais fácil e acessível para os funcionários retirar cestas de produtos locais no escritório. É uma nova reviravolta na agricultura apoiada pela comunidade, chamada de agricultura apoiada no local de trabalho.

O objetivo do Farm to Work é tentar fazer com que as pessoas comam mais frutas e vegetais frescos - uma vez que poucos americanos estão recebendo a ingestão recomendada. E parece estar funcionando. De acordo com um estudo publicado quinta-feira em Prevenção de doenças crônicas, an online journal from the Centers for Disease Control and Prevention, between 2007, when Farm To Work began, and 2012, about 37,500 baskets of produce were purchased through the program and participation went up over time. (About 900 baskets were also given away free.)

O sal

The U.S. Doesn't Have Enough Of The Vegetables We're Supposed To Eat

Unlike in a standard CSA model, participants aren't required to pay an initial lump sum or commit to buying every week. Instead, they can sign up to receive produce on any given week. Boxes' prices have varied over the years, but they now cost $20 apiece. (The boxes' weight varies by week.)

Today, Farm to Work, which started by connecting just one farm to the Texas Department of State Health Services, has 10 farmers and 49 work sites. Anywhere from 200 to about 2,000 employees participate at each site. There's a waiting list of employers in Austin and the model has expanded to San Antonio and Houston.

O sal

Communities Get A Lift As Local Food Sales Surge To $11 Billion A Year

O sal

What Is Community Supported Agriculture? The Answer Keeps Changing

While some Farm to Work participants may eat local, most are new recruits to the local and fresh food movement — and are more likely to hit the supermarket, says Andrew Smiley, deputy director of the nonprofit Sustainable Food Center and one of the program's founders. The point of the program, says Smiley, is, "to make healthy the easy choice."

A first step to doing that, Smiley's team realized, was simply making people aware of their local food options by bringing food directly to them in their workplace — which the program did with the help of CDC funding. Another step was teaching people what to do with odd vegetables in the box, such as kohlrabi and leafy fronds of bok choi. So Farm to Work posted recipes online. Smiley says his team has found that about a third of customers in a given month are regular shoppers – a startlingly high figure given how hard it is to change people's dietary habits.

Other groups around the country are also looking into workplace produce delivery schemes. While some hew closely to the traditional CSA model, others are experimenting with wholly different setups.

The Farm Fresh Program in Bellingham, Wash., connects local farmers to employers interested in receiving weekly deliveries. In some instances, says Becca Taber, membership coordinator at Sustainable Connections, the nonprofit that helps link farmers and employers, an employer pays the membership cost upfront and then takes gradual deductions from employers' paychecks. (One reason farmers in Austin can forgo the initial lump-sum payment is a year-round growing season, Smiley says.)

Meanwhile, the Farm2Work program in Arkansas links local purveyors of produce, meat, eggs, dairy, pies and jams and jellies to area employers. Workers can customize their entire basket and have it delivered to their workplace or pick up it up at a local church.

Adirondack Harvest, a branch of the Cornell Cooperative Extension in New York state, helped a single farmer connect to area employers. The next step, says Teresa Whalen, the group's southern chapter representative, is trying to persuade insurance companies to subsidize workplace CSAs in the same way they're starting to subsidize gym memberships.

Back in Texas, Smiley says if nothing else, lot more people in the region now know what it means to eat fresh, local produce. "When the farm truck drives up to the front of the building and unloads 50 crates of fresh produce, people tend to see that," he says. "It's in-your-face awareness."


Vegetables Take On Office Doughnuts When Farms Connect With Workers

A program called Farm To Work is making it easy and affordable for employees in central Texas to pick up baskets of local produce at the office.

JoAnn Santangelo/Sustainable Food Center

Employers have long known that one way to employees' hearts is through their stomachs.

But these days employers are plying employees not just with doughnuts, but with fresh vegetables, too — an effort to make sure those hearts are healthy. Tech companies are hiring professional chefs to prepare healthful lunches and snacks. And in Texas, a program called Farm To Work is making it easy and affordable for employees to pick up baskets of local produce at the office. It's a new twist on community supported agriculture call it workplace supported agriculture.

The goal of Farm to Work is to try to get people to eat more fresh fruits and vegetables — since few Americans are getting their recommended intake. And it seems to be working. According to a study published Thursday in Preventing Chronic Disease, an online journal from the Centers for Disease Control and Prevention, between 2007, when Farm To Work began, and 2012, about 37,500 baskets of produce were purchased through the program and participation went up over time. (About 900 baskets were also given away free.)

O sal

The U.S. Doesn't Have Enough Of The Vegetables We're Supposed To Eat

Unlike in a standard CSA model, participants aren't required to pay an initial lump sum or commit to buying every week. Instead, they can sign up to receive produce on any given week. Boxes' prices have varied over the years, but they now cost $20 apiece. (The boxes' weight varies by week.)

Today, Farm to Work, which started by connecting just one farm to the Texas Department of State Health Services, has 10 farmers and 49 work sites. Anywhere from 200 to about 2,000 employees participate at each site. There's a waiting list of employers in Austin and the model has expanded to San Antonio and Houston.

O sal

Communities Get A Lift As Local Food Sales Surge To $11 Billion A Year

O sal

What Is Community Supported Agriculture? The Answer Keeps Changing

While some Farm to Work participants may eat local, most are new recruits to the local and fresh food movement — and are more likely to hit the supermarket, says Andrew Smiley, deputy director of the nonprofit Sustainable Food Center and one of the program's founders. The point of the program, says Smiley, is, "to make healthy the easy choice."

A first step to doing that, Smiley's team realized, was simply making people aware of their local food options by bringing food directly to them in their workplace — which the program did with the help of CDC funding. Another step was teaching people what to do with odd vegetables in the box, such as kohlrabi and leafy fronds of bok choi. So Farm to Work posted recipes online. Smiley says his team has found that about a third of customers in a given month are regular shoppers – a startlingly high figure given how hard it is to change people's dietary habits.

Other groups around the country are also looking into workplace produce delivery schemes. While some hew closely to the traditional CSA model, others are experimenting with wholly different setups.

The Farm Fresh Program in Bellingham, Wash., connects local farmers to employers interested in receiving weekly deliveries. In some instances, says Becca Taber, membership coordinator at Sustainable Connections, the nonprofit that helps link farmers and employers, an employer pays the membership cost upfront and then takes gradual deductions from employers' paychecks. (One reason farmers in Austin can forgo the initial lump-sum payment is a year-round growing season, Smiley says.)

Meanwhile, the Farm2Work program in Arkansas links local purveyors of produce, meat, eggs, dairy, pies and jams and jellies to area employers. Workers can customize their entire basket and have it delivered to their workplace or pick up it up at a local church.

Adirondack Harvest, a branch of the Cornell Cooperative Extension in New York state, helped a single farmer connect to area employers. The next step, says Teresa Whalen, the group's southern chapter representative, is trying to persuade insurance companies to subsidize workplace CSAs in the same way they're starting to subsidize gym memberships.

Back in Texas, Smiley says if nothing else, lot more people in the region now know what it means to eat fresh, local produce. "When the farm truck drives up to the front of the building and unloads 50 crates of fresh produce, people tend to see that," he says. "It's in-your-face awareness."


Vegetables Take On Office Doughnuts When Farms Connect With Workers

A program called Farm To Work is making it easy and affordable for employees in central Texas to pick up baskets of local produce at the office.

JoAnn Santangelo/Sustainable Food Center

Employers have long known that one way to employees' hearts is through their stomachs.

But these days employers are plying employees not just with doughnuts, but with fresh vegetables, too — an effort to make sure those hearts are healthy. Tech companies are hiring professional chefs to prepare healthful lunches and snacks. And in Texas, a program called Farm To Work is making it easy and affordable for employees to pick up baskets of local produce at the office. It's a new twist on community supported agriculture call it workplace supported agriculture.

The goal of Farm to Work is to try to get people to eat more fresh fruits and vegetables — since few Americans are getting their recommended intake. And it seems to be working. According to a study published Thursday in Preventing Chronic Disease, an online journal from the Centers for Disease Control and Prevention, between 2007, when Farm To Work began, and 2012, about 37,500 baskets of produce were purchased through the program and participation went up over time. (About 900 baskets were also given away free.)

O sal

The U.S. Doesn't Have Enough Of The Vegetables We're Supposed To Eat

Unlike in a standard CSA model, participants aren't required to pay an initial lump sum or commit to buying every week. Instead, they can sign up to receive produce on any given week. Boxes' prices have varied over the years, but they now cost $20 apiece. (The boxes' weight varies by week.)

Today, Farm to Work, which started by connecting just one farm to the Texas Department of State Health Services, has 10 farmers and 49 work sites. Anywhere from 200 to about 2,000 employees participate at each site. There's a waiting list of employers in Austin and the model has expanded to San Antonio and Houston.

O sal

Communities Get A Lift As Local Food Sales Surge To $11 Billion A Year

O sal

What Is Community Supported Agriculture? The Answer Keeps Changing

While some Farm to Work participants may eat local, most are new recruits to the local and fresh food movement — and are more likely to hit the supermarket, says Andrew Smiley, deputy director of the nonprofit Sustainable Food Center and one of the program's founders. The point of the program, says Smiley, is, "to make healthy the easy choice."

A first step to doing that, Smiley's team realized, was simply making people aware of their local food options by bringing food directly to them in their workplace — which the program did with the help of CDC funding. Another step was teaching people what to do with odd vegetables in the box, such as kohlrabi and leafy fronds of bok choi. So Farm to Work posted recipes online. Smiley says his team has found that about a third of customers in a given month are regular shoppers – a startlingly high figure given how hard it is to change people's dietary habits.

Other groups around the country are also looking into workplace produce delivery schemes. While some hew closely to the traditional CSA model, others are experimenting with wholly different setups.

The Farm Fresh Program in Bellingham, Wash., connects local farmers to employers interested in receiving weekly deliveries. In some instances, says Becca Taber, membership coordinator at Sustainable Connections, the nonprofit that helps link farmers and employers, an employer pays the membership cost upfront and then takes gradual deductions from employers' paychecks. (One reason farmers in Austin can forgo the initial lump-sum payment is a year-round growing season, Smiley says.)

Meanwhile, the Farm2Work program in Arkansas links local purveyors of produce, meat, eggs, dairy, pies and jams and jellies to area employers. Workers can customize their entire basket and have it delivered to their workplace or pick up it up at a local church.

Adirondack Harvest, a branch of the Cornell Cooperative Extension in New York state, helped a single farmer connect to area employers. The next step, says Teresa Whalen, the group's southern chapter representative, is trying to persuade insurance companies to subsidize workplace CSAs in the same way they're starting to subsidize gym memberships.

Back in Texas, Smiley says if nothing else, lot more people in the region now know what it means to eat fresh, local produce. "When the farm truck drives up to the front of the building and unloads 50 crates of fresh produce, people tend to see that," he says. "It's in-your-face awareness."


Vegetables Take On Office Doughnuts When Farms Connect With Workers

A program called Farm To Work is making it easy and affordable for employees in central Texas to pick up baskets of local produce at the office.

JoAnn Santangelo/Sustainable Food Center

Employers have long known that one way to employees' hearts is through their stomachs.

But these days employers are plying employees not just with doughnuts, but with fresh vegetables, too — an effort to make sure those hearts are healthy. Tech companies are hiring professional chefs to prepare healthful lunches and snacks. And in Texas, a program called Farm To Work is making it easy and affordable for employees to pick up baskets of local produce at the office. It's a new twist on community supported agriculture call it workplace supported agriculture.

The goal of Farm to Work is to try to get people to eat more fresh fruits and vegetables — since few Americans are getting their recommended intake. And it seems to be working. According to a study published Thursday in Preventing Chronic Disease, an online journal from the Centers for Disease Control and Prevention, between 2007, when Farm To Work began, and 2012, about 37,500 baskets of produce were purchased through the program and participation went up over time. (About 900 baskets were also given away free.)

O sal

The U.S. Doesn't Have Enough Of The Vegetables We're Supposed To Eat

Unlike in a standard CSA model, participants aren't required to pay an initial lump sum or commit to buying every week. Instead, they can sign up to receive produce on any given week. Boxes' prices have varied over the years, but they now cost $20 apiece. (The boxes' weight varies by week.)

Today, Farm to Work, which started by connecting just one farm to the Texas Department of State Health Services, has 10 farmers and 49 work sites. Anywhere from 200 to about 2,000 employees participate at each site. There's a waiting list of employers in Austin and the model has expanded to San Antonio and Houston.

O sal

Communities Get A Lift As Local Food Sales Surge To $11 Billion A Year

O sal

What Is Community Supported Agriculture? The Answer Keeps Changing

While some Farm to Work participants may eat local, most are new recruits to the local and fresh food movement — and are more likely to hit the supermarket, says Andrew Smiley, deputy director of the nonprofit Sustainable Food Center and one of the program's founders. The point of the program, says Smiley, is, "to make healthy the easy choice."

A first step to doing that, Smiley's team realized, was simply making people aware of their local food options by bringing food directly to them in their workplace — which the program did with the help of CDC funding. Another step was teaching people what to do with odd vegetables in the box, such as kohlrabi and leafy fronds of bok choi. So Farm to Work posted recipes online. Smiley says his team has found that about a third of customers in a given month are regular shoppers – a startlingly high figure given how hard it is to change people's dietary habits.

Other groups around the country are also looking into workplace produce delivery schemes. While some hew closely to the traditional CSA model, others are experimenting with wholly different setups.

The Farm Fresh Program in Bellingham, Wash., connects local farmers to employers interested in receiving weekly deliveries. In some instances, says Becca Taber, membership coordinator at Sustainable Connections, the nonprofit that helps link farmers and employers, an employer pays the membership cost upfront and then takes gradual deductions from employers' paychecks. (One reason farmers in Austin can forgo the initial lump-sum payment is a year-round growing season, Smiley says.)

Meanwhile, the Farm2Work program in Arkansas links local purveyors of produce, meat, eggs, dairy, pies and jams and jellies to area employers. Workers can customize their entire basket and have it delivered to their workplace or pick up it up at a local church.

Adirondack Harvest, a branch of the Cornell Cooperative Extension in New York state, helped a single farmer connect to area employers. The next step, says Teresa Whalen, the group's southern chapter representative, is trying to persuade insurance companies to subsidize workplace CSAs in the same way they're starting to subsidize gym memberships.

Back in Texas, Smiley says if nothing else, lot more people in the region now know what it means to eat fresh, local produce. "When the farm truck drives up to the front of the building and unloads 50 crates of fresh produce, people tend to see that," he says. "It's in-your-face awareness."


Assista o vídeo: Empresas alemanas están secando la región del Báltico? DW Documental (Dezembro 2021).