Receitas tradicionais

Café do primeiro cachorro do New Yorkers Plan City

Café do primeiro cachorro do New Yorkers Plan City

Alguns nova-iorquinos estão arrecadando fundos para uma lanchonete

Nova York poderia ser uma campanha de arrecadação de fundos bem-sucedida de seu primeiro café para cães.

Nova York pode finalmente se orgulhar de seu próprio café para gatos desde que o Meow Parlor foi inaugurado em dezembro, e agora pode estar ganhando seu próprio café para cães também.

De acordo com Gothamist, dois nova-iorquinos empreendedores iniciaram uma campanha no Indiegogo para arrecadar fundos para começar o primeiro café para cães de Nova York, onde os nova-iorquinos sem animais podem se sentar e tomar uma bebida e brincar com alguns filhotes por um tempo. Se eles decolarem, os níveis relativos de estresse dos residentes de Nova York deverão despencar.

As angariadoras de fundos Maggie Chan e Mandy Chow estão tentando arrecadar US $ 70.000 para abrir um café para cães que incluiria uma grande área de recreação com paredes de vidro para cães, para que os cães pudessem brincar e o restaurante pudesse servir comida e bebida sem ter problemas por ter cães Correndo em volta. Os clientes também podiam entrar e brincar com os cachorros.

Chan e Chow dizem que o plano é que todos os cães sejam adotáveis. O objetivo deles é que a lanchonete faça parceria com abrigos locais para que os cães venham todos os dias para brincar na lanchonete, onde os clientes podem assistir e possivelmente participar. Os cães não viveriam no café em tempo integral.

Até agora, a campanha do indiegogo tem apenas US $ 786, mas ainda falta um mês inteiro. O café para gatos do Palácio Meow arrecadou US $ 65.000 para sua inauguração.


Os chefes de cozinha de Nova York voltam para casa em Detroit (e para cachorros-quentes)

‘‘ ESTE É O BILHETE, pessoal ’’, diz Eli Sussman. '' Esta é a geléia bem aqui. '' Um coney foi colocado na frente dele em uma mesa no American Coney Island, um restaurante rockabillyish vermelho e branco no centro de Detroit que poderia facilmente dobrar como o conjunto de um White Videoclipe do Stripes. No jargão de Michigan, ‘‘ coney island ’’ significa essencialmente um restaurante grego, e um coney é um cachorro-quente. E nesta cidade, é servido apenas de uma maneira: sufocado em pimenta, mostarda amarela e um punhado de cebolas brancas cruas - sem substituições. ‘‘ Quando você olha para ele, você diz: ‘Oh, cara, essa é uma ideia terrível’ ’, diz o irmão mais velho de Eli, Max. ‘‘ Então você come e fica tipo ‘Eu meio que quero outro’ ’

‘‘ Esta é a melhor comida para beber ’’, diz Eli.

‘‘ Eli diz isso sobre muitas coisas. Ele provavelmente vai dizer isso mais quatro vezes. ’’

‘‘ Todas as quatro vezes estarei certo ’’.

Max e Eli trabalharam como chefs em alguns dos restaurantes mais legais e influentes da cidade de Nova York, embora tenham se ramificado por conta própria, inventando sua própria versão de um bar de karaokê, escrevendo livros de receitas populares nos quais insistem que qualquer pessoa com uma cozinha pode preparar tamales de bouillabaisse ou rabada de boi e aparecer em uma série de vídeos online em que devoram seu caminho por cidades como Nashville e Las Vegas. Os Sussmans, ambos na casa dos 30 anos, cresceram em Huntington Woods, um subúrbio tranquilo a 24 km ao norte do centro decadente de Detroit. Eles foram para a faculdade perto de casa - Max foi para a Universidade de Michigan em Ann Arbor, Eli para o estado de Michigan em East Lansing - mas eventualmente seguiram para a costa. Max acabou cozinhando com April Bloomfield no Breslin Bar & amp Dining Room em Manhattan, e depois com Carlo Mirarchi no Roberta's em Brooklyn. Eli trabalhava com publicidade em Los Angeles, sentindo-se o tempo todo meio encurralado, até que o irmão o convenceu a vir para Nova York. Quase sem treinamento formal, Eli conseguiu um emprego na Mile End, a homenagem de Noah Bernamoff à carne defumada ao estilo de Montreal.

Imagem

Crescer em Michigan influenciou claramente o modo como os irmãos Sussman gostam de comer e cozinhar: sua abordagem da comida é tão despretensiosa, familiar e sem fronteiras quanto a cidade que os criou. Eles voltaram a Detroit para revisitar alguns dos lugares responsáveis ​​por seu amor pela comida, e sua saudosa viagem de retorno em Michigan rapidamente se transforma em um exercício em excesso rabelaisiano, com peixe defumado e curry tailandês e sanduíches de delicatessen e pizza profunda e Sushi para viagem e bolo de mirtilo transformando-se em um grande banquete pan-cultural.

Recentemente, eles se uniram para criar seu primeiro restaurante juntos em Nova York, Samesa, localizado em uma cervejaria no Brooklyn chamada Berg'n. O Samesa é especializado em shawarma, um prato no qual eles cresceram - e que é quase tão onipresente quanto coneys em Detroit, graças a uma grande população de imigrantes do Líbano, Síria e Iraque.

Para os Sussmans, o padrão-ouro local pode ser encontrado em uma das paradas de seu itinerário, o Pita Café, na cidade de Oak Park. O shawarma aqui é úmido e compacto - bem diferente da típica avalanche bagunçada de carne e tahine. Com futuras localizações de Samesa em sua mente, os irmãos tornaram-se bastante obcecados com essas coisas. ‘‘ Estávamos falando sobre - Deus, parece tão ridículo dizer isso, mas, tipo, distribuição de molho ’’, diz Eli. Ele dá ao protótipo do Pita Café um olhar de admiração: ‘‘ Isso é totalmente, exatamente, o que eu sempre quero comer. ’’

Max abre um grande sorriso: ‘‘ É a comida perfeita para beber. ’’

DESDE QUE ERA CRIANÇAS, os irmãos Sussman vão ao Instituto de Artes de Detroit para admirar os enormes murais de Diego Rivera que glorificam a cidade como um paraíso dos trabalhadores. Parados diante deles agora, eles não parecem menos maravilhados. ‘‘ É algo muito profundo de se ter no meio de um colapso pós-industrial ’’, diz Max. ‘‘ O que este lugar poderia ter sido, ao contrário do que se tornou ’’. Eles o estudam por mais alguns momentos. Então Max diz: '' Vamos colocar um pouco de queijo no fogo. '' Por quase todo o tempo que eles visitaram os murais, eles seguiram com uma viagem ao centro da cidade para Pegasus Taverna para um pouco de saganaki, um prato de queijo grego que fica flambado e depois extinto com uma borrifada de suco de limão.

Max e Eli moravam em Nova York quando Detroit declarou falência em 2013. O folclore convencional diz que a cidade permanece, ou oscila, como uma parábola de regressão e ferrugem, e tudo o que você precisa fazer é dirigir por aí para ver se há abundância de verdade para essa narrativa. Mas se você reservar um tempo para conversar com as pessoas, encontrará resquícios da energia que impulsionou a cidade à prosperidade há um século - e que pode ajudar a definir como será a sensação de Detroit no futuro.

Seria ingênuo proclamar que uma cruzada alimentar popular vai salvar Detroit, mas muitos chefs, fazendeiros urbanos e ativistas parecem determinados a tentar. Há uma nova onda de restaurantes liderando o movimento, energizando bairros e reintroduzindo a despensa do meio-oeste com os melhores ingredientes locais. Na frente do pacote está Rose's Fine Food, onde Molly Mitchell (uma veterana da Tartine Bakery em São Francisco) e sua prima Lucy Carnaghi converteram uma ilha coney em declínio em um posto avançado artesanal de haxixe, sanduíches de coelho e panquecas de mirtilo servido com uma fatia crocante de truta frita.

Outra é a Supino Pizzeria, situada no bairro Eastern Market, a poucos passos de um matadouro halal, onde o amigo de Sussman, Dave Mancini, paga um aluguel mensal tão baixo (tanto para sua pizzaria quanto para La Rondinella, um novo restaurante italiano que abrirá em seguida porta) que faria um chef de Manhattan chorar. E Mancini ganha três vezes em uma única tarde de sábado, quando multidões inundam a área para um mercado de agricultores. ‘‘ É uma loucura ’’, diz Mancini. ‘‘ É como estar em um estádio esportivo, com uma multidão louca o dia todo. ’’

Os Sussmans também vêem a grande mudança no Selden Standard, onde o chef Andy Hollyday serve mingau de pato, chittara com tinta de lula e costeletas de cordeiro defumadas. O antigo nome do bairro, Cass Corridor, costumava ser o código da Motor City para "ficar bem longe". Agora, a área tem Whole Foods.

Com o súbito afluxo de criativos aproveitando aluguéis baratos e espaços de depósito, os observadores podem reclamar que partes de Detroit correm o risco de ser arruinadas por muitos baristas e Baby Gaps. Como se para oferecer um corretivo culinário, Max e Eli voltam para o carro. ‘‘ Estou levando você para o lugar mais lixo que posso te levar ’’, diz Eli. ‘‘ A linha de chegada se aproxima ’’

Seguimos para a cidade de Royal Oak, onde eles planejam conseguir um coney em National Coney Island, um local onde costumavam ficar por horas no ensino médio. Royal Oak já foi um país das maravilhas de lojas de discos e livrarias. ‘‘ Não é mais assim ’’, diz Max, enquanto cruzamos quarteirão após quarteirão de placas Starbucks e Qdoba. ‘‘ Costumava ter muito charme ’’, diz Eli. ‘‘ Agora parece um shopping ’’.

Esses são os perigos de voltar para casa. Mas seu humor se ilumina quando eles veem um brilho na estrada. O vermelho é radiante e berrante, um feixe de escarlate que parece envolver um edifício inteiro e provavelmente pode ser visto do espaço sideral. Este é o National, onde um coney sai por US $ 2,29. ‘‘ É como um farol brilhante ’’, diz Eli. E eles vão para o estacionamento.


O que é um cachorro-quente Michigan Style?

Um cachorro-quente Michigan Style é a especialidade regional do norte de Nova York! Consiste em um cachorro-quente cozido no vapor, servido em um pão ao estilo da Nova Inglaterra, coberto com um molho carnudo, geralmente conhecido como & ldquoMichigan sauce & rdquo. Os michigan são normalmente servidos com cebola picada e mostarda. Se servida com cebola picada, a cebola pode ser enterrada sob o molho, sob o próprio cachorro-quente ou polvilhada por cima do molho.

Você pode encontrar Michigans em Nova York e rsquos North Country, que passa a ser Nova York e rsquos extremo norte da fronteira, pense no topo da fronteira canadense com Nova York!


Locomovendo-se em Nova York

Nova York é dividida em muitos bairros diferentes, cada um com uma atmosfera única. Aqui estão as melhores maneiras de ir do Brooklyn ao Upper East Side e em qualquer lugar entre eles:

Metrô: O metrô é a melhor maneira de se locomover em Nova York. Você evitará todo o tráfego de pára-choques a pára-choques e é super acessível! Os trens funcionam 24 horas por dia, e você pode fazer o download de um mapa do metrô para ter certeza de que descerá na parada certa.

Uber / Táxi: Se você tem muita bagagem ou sacolas de compras, é mais fácil pegar um táxi do que entrar em um dos trens lotados do metrô. Você pode facilmente chamar um táxi amarelo na rua ou solicitar uma carona com o Uber. Mesmo que os táxis sejam uma parte icônica da cultura de Nova York, eu recomendo pegar um Uber. Os motoristas são mais confiáveis ​​e as tarifas são mais baratas. No entanto, não há uma maneira rápida de se locomover pela cidade com qualquer uma das opções, então opte pelo metrô o máximo que puder.

Andando: Prepare-se para caminhar muito! Com a maioria das principais atrações a uma curta caminhada uma da outra, você não precisa depender do transporte público para se locomover o tempo todo. Nova York é uma cidade que pode ser percorrida a pé, e você descobrirá algumas joias escondidas ao longo do caminho.


O Guy's Top Eats no estado de Aloha - Triple D no Havaí

Dos clássicos da ilha à fusão asiática, o Havaí tem um pouco de tudo quando se trata de sua culinária única. Guy's visitou restaurantes, drive-ins, food trucks e barracas de beira de estrada nas ilhas para encontrar as melhores ofertas ao redor. Se você estiver indo para o Havaí para se divertir ao sol, certifique-se de que esses lugares estejam em sua lista de comidas imperdíveis.

Relacionado a:

Foto por: Citizen Pictures

Foto por: Citizen Pictures & copy2800 Speer Blvd Denver CO 80211

Foto por: Citizen Pictures & copy2800 Speer Blvd Denver CO 80211

Pan-Fried Wahoo - Dean's Drive Inn

Com mais de 40 anos de experiência, Dean Mishima está cozinhando alguns dos melhores e mais frescos alimentos no Dean's Drive Inn em Oahu, com a ajuda de sua esposa e filha. Os locais adoram suas especialidades de frutos do mar, como o Pan-Fried Wahoo ou Ono, como é chamado no Havaí. Os filés de peixe são polvilhados com farinha e selados na superfície plana antes de serem cobertos com um molho de gengibre que floresceu com óleo quente e temperado com molho de soja.

Costelinha de porco frita desossada - Thai Mee Up

Guy vai ao Thai Mee Up para comer comida havaiana de inspiração tailandesa bem perto do aeroporto. As costelas de porco desossadas levam Guy a novas alturas. & ldquoEm uma escala de 1 a 100 que & rsquos a 101 & rdquo & rdquo ele diz sobre o prato imaculado. & ldquoIsso é como um trem de carga para Flavortown. & rdquo

Costelinha Kalbi - Da Kitchen

No Da Kitchen, o Chef Les Tomita cozinha pratos havaianos clássicos, como loco moco, mas são suas costelas Kalbi que são famosas. Ele vende 2.000 libras de costelas todas as semanas. A receita começa com um molho teriyaki caseiro, no qual as costelas marinam por 24 a 36 horas. Eles são grelhados com perfeição em apenas cinco minutos.

Lilikoi Pork Pizza - The Outrigger Pizza Company

Em Maui, você pode conseguir uma pizza fantástica em um estacionamento da The Outrigger Pizza Company, administrada pelo nativo de Philly, Kevin Laut. Experimente a sua Pizza de Porco Lilikoi (maracujá), que é coberta com molho aioli de alho, porco assado, cebolas Maui doces, pimentão e mussarela e queijo romano. Depois de sair do forno feito sob encomenda, é coberto com queijo parmesão e molho lilikoi. "Você não consegue pizza tão boa na maioria dos restaurantes", disse Guy depois de provar a pizza.

Sopa de rabo de boi - Restaurante The Alley

A poucos quilômetros do aeroporto de Honolulu, você encontrará o restaurante The Alley, localizado em uma pista de boliche. O chef Glen Ueda costumava trabalhar em Nova York antes de vir para o Havaí. Sua sopa de rabada, baseada na receita de sua mãe, é perfumada com tâmaras secas, casca de laranja, anis estrelado, gengibre, amendoim e cogumelos shiitake secos. Ele tempera o caldo com uísque quando termina de cozinhar. É servido com um molho especial feito de daikon, molho de soja, suco de limão, flocos de pimenta e sementes de gergelim. "Você ganhou o prêmio de melhor sopa de rabada do mundo", disse Guy a Glenn.

Frango Mochiko - Botas e Kimo's Homestyle Kitchen

Os irmãos Rick e Jessie Kiakona homenageiam seu pai cozinhando suas receitas no Boots & amp Kimo's Homestyle Kitchen em Oahu. Enquanto Rick cuida da fonte da casa, Jessie é a chef. Seu Frango Mochiko usa coxas de frango desossadas, cortadas em pedaços, jogadas em uma marinada de açúcar, farinha de arroz, amido de milho, sal, pimenta, alho e molho de soja, além de ovos para atuar como aglutinante. O frango é frito e servido com arroz e salada de macarrão.

Carne Misiake - Loja e Deli do Píer He'eia Kea

No He'eia Kea Pier General Store e Deli, o chef Mark Noguchi prepara Misiake Beef, um prato que praticamente deixou Guy sem palavras. Começa com carne marinada em molho teriyaki. É refogado em uma wok antes de ser coberto com um molho feito com saquê, mirin, sake kasu, pasta de missô branco e vermelho, molho de feijão preto salgado e sementes de gergelim torradas. Servido simplesmente com arroz branco, é um gostinho do Japão no Havaí.

Ahi Tuna Poke - Fresh Catch

No Fresh Catch, você encontrará algumas das seleções de frutos do mar mais frescos e uma grande variedade de poke, incluindo polvo, camarão e o clássico atum Ahi. O próprio chef Reno Henriques açougue o atum. Depois que o peixe é cortado em cubos, ele o mistura com sal e flocos de pimenta, noz kukui, água com pimenta, óleo de gergelim, cebolinha, cebola branca e algas marinhas. "Eu poderia sentar aqui e comer isso aos baldes", disse Guy.

Marlin Burger - Nico's Pier 38

No Nico's Pier 38, o chef francês Nico Chaize está servindo pratos requintados a preços baixíssimos. Um de seus itens de menu de assinatura é o hambúrguer de marlim de hambúrguer duplo. O peixe fresco é purificado e combinado com cebola, alho, mostarda Dijon e temperos antes de ser transformado em hambúrgueres. é servido em um pão de hambúrguer torrado com molho de coentro.

Camarão Crocante - Caminhão de Camarão Big Wave

É tudo sobre camarão no Big Wave Shrimp Truck. Um de seus principais pratos é o Camarão Crocante. Camarões grandes e frescos são passados ​​na manteiga, mergulhados em uma massa de tempura e revestidos com panko antes de serem fritos na frigideira. As porções fartas deixam os clientes felizes, já que 10 peças são servidas com arroz e um molho doce e picante.

Thai Hot Wings - Opala Comida Tailandesa

No Opal Thai Food, o chef e proprietário Opal Sirichandhra personaliza alegremente os pratos para seus clientes. Para Guy, ele fez asas quentes, que começam simplesmente com asas de frango fritas, sem qualquer cobertura. Mas é o molho que é especial. Inclui muito alho, pasta de pimenta, molho de soja e néctar de palma. Depois que o molho é aquecido em uma panela, o chef adiciona mais alho e as asas de frango. O prato é coberto com manjericão frito. "Foi o máximo de alho que experimentei", disse Guy.

Chicago Dog - Hank's Haute Dogs

Na década de 1950, os pais de Chicagoan Hank Adaniya costumavam cuidar de uma lanchonete de cachorro-quente no Havaí. Era natural que Hank abrisse o Haute Dogs de Hank em Honolulu. Seu mais vendido é o Chicago dog, que tem as coberturas clássicas de mostarda amarela, tempero verde, cebola, tomate, picles, pimenta esportiva e sal de aipo. Ele até envia a maioria dos ingredientes de Chicago, então é o mais autêntico possível.

Luau havaiano autêntico - Luau de Germaine

Para um autêntico banquete havaiano, vá ao Luau de Germaine, onde um porco inteiro é cozido da maneira tradicional em um forno subterrâneo chamado imu. O processo começa com o pré-aquecimento do forno com pedras de lava e carvão. Em seguida, um porco inteiro é salgado, coberto com pedras dentro da cavidade e colocado em uma cama de talos de banana, então coberto com folhas de bananeira, serapilheira, uma lona e finalmente areia. Após oito horas de cozimento, é desenterrado e servido cerimonialmente.

Frango Assado - Frango Huli Huli do Mike

Guy volta para a barraca de frango Huli Huli de Mike, que o inspirou a criar seu próprio forno assado em casa. O proprietário Mike Fuse salga pássaros em sal e suco de limão durante a noite. Eles são então cobertos com uma pasta que inclui páprica, cominho, orégano, pimenta e pimenta caiena, antes de serem enfiados em um espeto e colocados em seu forno personalizado. O frango cozinha por cerca de 40 minutos em madeira havaiana local. Quando acabam, é "o frango mais crocante que qualquer um experimentará que não tenha sido frito", diz Guy.

Fried Poke - Like Poke.

Em Maui's Like Poke. , um food truck dirigido pelo ex-surfista profissional Danny Kalahiki, você encontrará o que há de mais fresco. Sua receita clássica começa com atum albacora e inclui cebola roxa e agrião. Mas ele usa o mesmo prato para criar dois outros pratos: O Poke Bake tem uma camada de molho de tudo que é cozido no forno. E o Fried Poke tem uma fina camada de farinha, frito e coberto com molho crack.

Filipino Pork Lechon Special - Elena's

No Elena's, os proprietários Richard Butuyan e sua irmã Melissa Cedillo mantêm sua herança familiar viva cozinhando os favoritos filipinos de sua mãe, incluindo o Pork Lechon Special. Começa com grandes pedaços de barriga de porco, primeiro fervidos e depois fritos. É cortado em pedaços e combinado com tomate, cebola, cebolinha e sal marinho, e servido sobre arroz frito de adobo de porco. "É como um chicharron, costela e bacon ao mesmo tempo", disse Guy sobre a barriga de porco.

Confit de pato mandriano vitrificado - Uahi Island Grill

No Uahi Island Grill, tudo se resume a clássicos com um toque diferente, como o Glazed Mandarin Duck Confit. A receita começa com o cozimento do pato na própria gordura, mas com a adição de anis estrelado. O esmalte de laranja inclui vinagre de arroz, shoyu, gengibre e mais anis estrelado. Assim que as pernas de pato estiverem crocantes na superfície plana, são servidas com arroz, brócolis chinês e calda de laranja.


Danny Meyer, restaurateur de Nova York, promove aventuras para refeições casuais

Uma xícara de chocolate quente no Joe.

Considerado por muito tempo como um líder no mundo da alta gastronomia de Nova York, Danny Meyer está entrando nas categorias casuais da cena culinária da cidade.

O Union Square Hospitality Group (USHG) do restaurateur, que engloba uma variedade de restaurantes de alto preço, como o Gramercy Tavern e o Modern, com estrela Michelin, está investindo na Joe Coffee, uma rede de cafés de Nova York com 13 locais no cidade e duas na Filadélfia.

Ele também está planejando abrir o Daily Provisions, descrito no site do USHG como um "café de bairro", no início de 2017. O restaurante se concentrará em pratos de café da manhã, sanduíches e saladas, de acordo com relatos ao lado do Union Square Cafe de Meyer, um aclamado restaurante que lançou a carreira de Meyer em 1985 e que reabriu em um novo local da Union Square em dezembro passado, após um ano de paralisação.

Analistas e observadores da indústria de restaurantes dizem que os novos empreendimentos de Meyer em território casual não devem ser uma surpresa. No mínimo, ele está seguindo um manual estabelecido atualmente entre os donos de restaurantes, que muitas vezes aproveitam seu status e reputação na culinária sofisticada para construir marcas na extremidade acessível do espectro de restaurantes.

O motivador, dizem os profissionais da indústria, é que esses conceitos casuais são mais facilmente construídos e replicados. Em outras palavras, é aqui que um dono de restaurante pode ganhar dinheiro de verdade.


Onde comprar arte acessível em Nova York

Onde comprar arte acessível em Nova York A maioria das obras de arte penduradas nas paredes das galerias de Nova York vem com preços de cair o queixo. Só porque sua conta bancária está muito aquém de comprar uma dessas obras de arte, não significa que você deve desistir do sonho de possuir uma pintura ou escultura original. Descansando logo abaixo da fachada endinheirada do New & # 8230 Leia mais


Restaurantes divertidos em Nova York

1. Brooklyn Farmacy & amp Soda Fountain

Brookyn Farmacy é uma atualização da clássica fonte de refrigerante. A cozinha resulta em deliciosos pratos rápidos: imagine um queijo grelhado feito com um bom pão e um bom queijo e grelhado com perfeição dourada. Mas quem estamos enganando? O verdadeiro atrativo são os sundaes de sorvete e os carros alegóricos de sorvete e a torta com sorvete. Você entendeu e, se trouxer os pequenos, será um herói. Além disso, depois que alguns pais atenciosos deram algumas dicas, eles agora servem vinho. Carroll Gardens (brooklynfarmacyandsodafountain.com).

2. Salão de Chá Nom Wah

A primeira casa de dim sum de Nova York foi inaugurada em 1920 em uma curva áspera da Doyers Street, cheia de gangues. Depois de quase um século de atividade, o salão de propriedade familiar é um dos cômodos mais atmosféricos de Chinatown, com toalhas de mesa xadrez sobre mesas Art Déco e luminárias vintage e mdashNom Wah é completamente diferente dos salões de banquetes caóticos que dominam a cena dim sum. (A localização do NoLIta também é agradável, se não tão divertida.) A comida também se destaca: experimente o pão de porco assado ultrafofo e grande, o crepe de crepe frito em flocos e a berinjela recheada recheada com camarão temperado. e - mistura de lulas. Chinatown (nomwah.com).

3. S’Mac

Faça uma caminhada saborosa pela estrada da memória. S & rsquoMac eleva um alimento básico da infância ao nível gourmet, com uma dúzia de variedades de queijo mac 'n para escolher. O tamanho & ldquonosh & rdquo é perfeito para o apetite infantil. Ou vá na outra direção e peça o & ldquomongo & rdquo e planeje as sobras amanhã. E no dia seguinte. Qualquer variedade, do livro totalmente americano ao La Mancha com sotaque espanhol (Manchego cheese yum!), Pode ser preparada sem glúten ou com lactose reduzida. East Village (www.eatsmac.com).

4. Roberta's

Compartilhe uma torta com a família nesta pizzaria Bushwick que oferece desde o clássico Margherita até seleções mais aventureiras como o Nightmare on Moore Street, que tem taleggio, radicchio marinado, chalotas em conserva e pimenta habanada. Comedores exigentes podem criar sua própria obra-prima de pizza com mais de 20 coberturas diferentes para adicionar à sua torta. O original em Bushwick é um restaurante familiar com muitos pratos diferentes da pizza, enquanto os movimentados locais de Manhattan nos corredores do mercado são mais adequados para uma pizza rápida. Bushwick, Brooklyn (robertaspizza.com).

5. Harlem Shake

Compre para seu filho um hambúrguer Pat LaFrieda e um milkshake Blue Marble neste popular destino do Harlem que celebra a cultura do bairro e dos rsquos. Os seguidores locais devotados e a vibração retro clássica fazem com que pareça o tipo de estabelecimento local que existe desde sempre. Em breve, este local será o que virá à sua mente quando você ouvir "Harlem Shake", e não o meme de dança de 2013. Harlem (harlemshakenyc.com).

6. Pig Beach

Este local do Brooklyn é o lugar perfeito para mastigar alguns pratos carnudos em um ambiente divertido com estilo de piquenique. Você vai ficar com água na boca com as possibilidades e costelas mdashbaby, o Pig Beach Burger e seu delicioso molho secreto, peito e muito mais. Acompanhamentos incluindo queijo mac n & rsquo com Goldfish, pickles caseiros e salada de repolho de galinha-jalapeño defumada. Bônus adicionado? Filhotes são bem-vindos no espaço ao ar livre! Pegue uma mesa e aperte os olhos e você quase pode imaginar que o tranquilo Canal Gowanus é um afluente do Rio San Antonio. Gowanus, Brooklyn (pigbeachnyc.com).

7. Guloseimas Kith

Quando a loja de roupas de rua e tênis Kith abriu a Prospect Heights, ela adicionou uma barra de cereal à mistura. A Kith Treats Cereal Bar oferece mais de 20 cereais diferentes, incluindo clássicos como Fruity Pebbles e Cinnamon Toast Crunch, mais de 20 coberturas e várias opções de leite. Não só você pode fazer combinações de cereais personalizadas, mas outras guloseimas à base de cereais, como redemoinhos de sorvete de cereais e milkshakes de cereais também estão no menu. É muito divertido comer como uma criança. Noho e Flatbush, Brooklyn (kith.com).

8. Benihana

Esta rede asiática transforma o teppanyaki, uma técnica japonesa de grelhados, em um jantar de teatro: o camarão voador é um ato que nunca envelhece. É cafona? Sim! E é uma diversão fantástica que seu filho vai adorar. Você pode até gostar também. Midtown West (benihana.com).

9. Shake Shack

Vamos tornar mais fácil para você: leve as crianças para o Shake Shack. Este favorito local reinventou a roda com sucesso e introduziu hambúrgueres suculentos e milkshakes espessos para uma nova geração. Um bônus para os comedores contemporâneos é o menu vegetariano de bom tamanho: há algo para todos. O melhor de tudo é que uma criança pode ser uma criança e ser um pouco saltitante e barulhenta, sem sair de cena. Vários locais (shakeshack.com).

10. Serendipidade 3

O cardápio desse restaurante extravagante certamente fará as delícias de todas as idades! Das bebidas "congeladas" exclusivas, como chocolate quente, morango supremo e gelo rosa, às tortas, fatias de banana e torta, todos os gulosos ficarão bastante satisfeitos. As crianças podem escolher entre vários hambúrgueres diferentes e uma variedade de sanduíches, como o Ultimate BLT no pão chalá. Lenox Hill (serendipity3.com).

11. Dinosaur Bar-B-Que

O que começou nos anos & lsquo80 como um estande de concessão móvel evoluiu para um churrasco para as famílias. Há muitas opções de carne de porco, hambúrgueres e peito, mas os pratos típicos são acompanhados por seleções com ovos apimentados flair & mdashcreole, bagre bronzeado e o sanduíche portobello defumado. Os pequenos vão se deliciar com acompanhamentos como mac & amp cheese e creme de milho, embora os pais vão querer que seus filhos optem por verduras cozidas ou salada de grão de bico de brócolis (ilusões). Harlem e Gowanus, Brooklyn (dinosaurbarbque.com).

12. American Girl Cafe

A próxima vez que você se aventurar em um passeio em família, certifique-se de que as American Girl Dolls de seus filhos estejam a reboque. O American Girl Place Cafe do Rockefeller Center oferece aos clientes uma chance para os mais pequenos jantarem com seus carrinhos, seja um chá da tarde com scones e pãezinhos ou um satisfatório almoço de frango (talvez macarrão Bow Tie para aqueles com uma paleta mais madura). Depois de terminar sua refeição, deixe sua equipe explorar a loja e encontrar roupas e acessórios fofos para suas melhores amigas. Midtown West (americangirl.com).

13. Dizzy’s

Este bairro "restaurante requintado" é perpetuamente animado e repleto de família: os pequenos adoram o menu infantil e os pais podem ler o extenso menu que oferece hambúrgueres, saladas, sanduíches de café da manhã e aquecedores como bolo de carne embrulhado em bacon. Park Slope, Brooklyn (dizzys.com).

14. Black Tap

Hambúrgueres, shakes (e cerveja artesanal para mais de 21 anos). Há mais alguma coisa que um foodie experimentado e verdadeiro de Nova York precisa? Black Tap canaliza uma lanchonete americana clássica e dá-lhe um toque nova-iorquino, o que significa que tem uma vantagem. O d & eacutecor é hip-hop e rock & amp roll da velha escola, e a comida é tudo menos enfadonha: hambúrgueres feitos de carne bovina, bisão, cordeiro, peru, chouriço e falafel, e acompanhamentos que incluem brócolis Teriyaki, couve de Bruxelas crocante e comida mexicana Abacate. A assinatura & ldquoCrazy Shakes & rdquo tem sido muito procurada por nomes como The Cotton Candy Shake, Sour Power, Sweet n Salty e The Cookie Shake. Soho, Herald Square, Midtown West (blacktap.com).

15. Ellen & # 039s Stardust Diner

Venha pela comida, fique pelas músicas. Este restaurante kitsch na Times Square tem garçons cantores e muitos deles atores da Broadway e mdashwill mantém as crianças entretidas enquanto esperam por suas panquecas ou hambúrgueres. Os servidores de desempenho até aceitam solicitações. Pense no quanto seus filhos vão adorar ouvir uma versão ao vivo de & ldquoLet It Go & rdquo durante a refeição. Também há apresentações programadas à noite. Times Square (ellensstardustdiner.com).

16. Alice & # 039s Tea Cup

Considere este o seu ingresso para o Mad Hatter & rsquos Tea Party. Neste fofo caf & eacute, os mais pequenos podem desfrutar de um serviço personalizado especialmente para eles. Café da manhã e brunch são o horário nobre para visitas e mdash você pode pedir deliciosas omeletes, ovos, scones, salmão defumado benedict e uma variedade de panquecas e waffles. No cardápio, você encontrará deliciosos sanduíches (pense em salada de frango ao curry, presunto e gruyere da floresta negra, derretimento de atum, BLT) e saborosas opções de serviço de chá. Upper West Side, Upper East Side (alicesteacup.com).

17. Big Daddy’s Diner

Tudo é maior do que a vida neste restaurante agitado, desde a decoração intensa até as porções volumosas. As crianças vão desfrutar de cachorros-quentes e mini panquecas com pedaços de chocolate e, em seguida, conferir as lembranças da cultura pop que se alinham nas paredes enquanto esperam pela comida. Traga todo o seu clã para uma das noites mensais de curiosidades em família ou jogue a festa do próximo aniversário de seu filho e rsquos no salão de festas do restaurante e rsquos. Gramercy (bigdaddysnyc.com).

18. Cowgirl

O cardápio infantil deste local do sudoeste oferece muitos pratos a preços razoáveis, incluindo a famosa Frito Pie, que os mais pequenos vão adorar comer direto do saco. Outros favoritos com o tema da antiga fronteira incluem & ldquocorndoggies & rdquo e sammys de porco desfiado, servidos com batatas fritas e espiga de milho. Termine uma refeição extenuante com a & ldquo # 1 melhor sobremesa de todos os tempos & rdquo um sundae de sorvete do tamanho que parece uma batata cozida. West Village (cowgirlnyc.com).

19. The Burger Garage

Este estabelecimento elegante remonta aos bons e velhos tempos de viagens familiares em família e preços de combustível significativamente mais baixos. A princípio, o tema da carroceria e posto de gasolina pode parecer pouco apetitoso, mas a antiga garagem oferece uma atmosfera convidativa junto com alguns hambúrgueres bem escolhidos, sem mencionar um extenso menu sem glúten. Cidade de Long Island, Queens (theburgergarage.com).

20. Lanchonete de cachorro latindo

There&rsquos really something for everyone at this canine-themed mini-chain of luncheonettes: a Philly cheese steak wrap, po boy sandwiches, burgers, hearty salads, fried chicken and special desserts like the Barking Dog Banana Split, Barking Dog Sundae and Chocolate Brownie Sundae. With such a hearty array of pancakes, waffles, omelets, frittatas and wraps, there might even be enough leftovers for a doggie bag. See what we did there? Upper East Side (barkingdog94.com).

21. Eataly

If you can&rsquot book a flight to the Amalfi Coast, enjoy a taste of Italy right here in NYC thanks to Eataly&mdashthe mecca for all-things pasta, seafood, meats and, of course, gelato. Part grocery store, part restaurant and completely fabulous, Eataly serves as more than just a location to dine if you&rsquore craving pasta&mdashit&rsquos a gateway to the Italian culture and offers tours, classes and other events that make the experience worthwhile. Flatiron and Financial District (eataly.com).

22. Kellogg’s NYC

Cereal is a Saturday-morning staple for all kids that oftentimes includes a Kellogg's product. But make no mistake, this Union Square hotspot is no ordinary breakfast outpost. Expect a unique twist on classic flavors you know and love, such as Life in Color (which is a combination of Fruit Loops, lime zest, marshmallows and passion fruit jam). Did you know that Milk Bar&rsquos Christina Tosi created the menu selection, so you know you're in for something special. But for those with a creative mind (and appetite), use your visit to the restaurant as an opportunity to create your own wonky morning meal. Sure it's a cereal restaurant, but by the time you're through, expect a sugar rush. But no complaints here! Union Square (kelloggsnyc.com).

23. Junior’s Restaurant

This New York institution's claim to fame is the rich, fluffy cheesecake, which comes in several varieties like red velvet and devil&rsquos food&mdashbut we like to work our way up to the sweet slab of loveliness. Beginning with the perfectly salty-sour pickles and other crunchy bites that are served before every meal, little ones can peruse the appropriately-titled Junior Menu and choose from a selection of kiddie diner favorites like grilled cheese and chicken fingers. Various locations (juniorscheesecake.com).

24. Hard Rock Cafe

We know, most New Yorkers avoid Times Square, but this Hard Rock Café is nirvana for little music fans raised on the Beatles and the Stones. While you wait for your table, ooh and ahh over the memorabilia filling the walls: James Brown&rsquos golden suit, Billy Joel&rsquos motorcycle, the doors from the Abbey Road studios and signed guitars everywhere. The music is loud and the beats are rockin&rsquo&mdasheven the most cynical New Yorkers will be air drumming and chair dancing. Times Square (hardrockcafe.com).

25. Max Brenner

At the Union Square emporium, chocolate-filled pipes weave around the ceiling and decadent confections sit atop tightly packed tables. With a menu that instructs guests to "Get addicted, be happy," this isn't a place for self-control. Expect chocolate to show up in some unexpected places, like waffle fries dusted with chili and cocoa powder and a dessert pizza made to share. The whimsical kids' menu includes such delicacies as the Chocolate Oatmeal Trophy and the Melting Marshmallow Crepe (with gummy bears, vanilla ice cream and, of course, more chocolate). Sweet tooths, rejoice! Greenwich Village (maxbrenner.com).


48,000 Students With Disabilities Not Getting Help They Need, DOE Admits

MANHATTAN &mdash The Department of Education admitted Wednesday that more than 48,000 of its special needs students did not get the legally required help they were entitled during the past school year.

But at least it was not as bad as it was the year before.

A new DOE report detailing demographic data of students with disabilities showed that approximately 27 percent of the roughly 193,000 students with disabilities were in schools that were not fully meeting their needs &mdash like counseling for behavior disorders, speech therapy for language delays, occupational therapy for motor delays or visual services for vision impairments &mdash mandated by their Individualized Education Program (IEPs.)

That was down from a year ago when 41 percent of students who were only getting partial or none of their services, according to the report.

&ldquoThe fact remains that over 25 percent of students with disabilities &mdash nearly 50,000 students &mdash are still going without all of the special education services they are entitled to receive under law,&rdquo Kim Sweet, executive director of Advocates for Children of New York, said in a statement. &ldquoNYC has a lot of work to do.&rdquo

Watchdogs are concerned that without getting their mandated support services, many children with disabilities are unable to meet their academic and developmental goals. Only 10 percent of students with disabilities passed the state English exam given to the city&rsquos third through eighth graders least year, Sweet pointed out.

Under federal law, the city must ensure that students with disabilities are in the "least restrictive" environment possible, which means that neighborhood schools must accommodate these children rather than shunting them off elsewhere. But these schools don't always have the staff and other resources to provide kids what they need.

Roughly 19 percent of the city's 1.1 million students have IEPs.

A middle schooler with an IEP mandating a seat in a mixed math class of disabled and non-disabled students co-taught by a special education teacher and general education teacher, for instance, might instead be placed in a general ed class for the subject.

Staten Island&rsquos District 31 had the most students with IEPs, at more than 15,400, followed Manhattan&rsquos District 2 (which includes TriBeCa, Greenwich Village, Gramercy and the Upper East Side) and the Bronx&rsquos District 10 (which includes Riverdale, Fordham, Belmont and Kingsbridge).

Lori Podvesker, of the advocacy group INCLUDEnyc, was not surprised to see Staten Island&rsquos high number of students with special needs.

&ldquoIt&rsquos incredibly insular. It&rsquos not necessarily what you know, but who you know,&rdquo she said, adding that families in the borough have strong political clout. &ldquoThey have some fantastic parent advocates out there,&rdquo she said.

Certain districts have a tougher time meeting the needs of students, she added, because of such problems as a shortage of bilingual therapists.

&ldquoThe poorer the district is, the more likely the need for bilingual therapists. And that&rsquos not happening.&rdquo

The DOE&rsquos report conceded the dearth of special needs educators.

&ldquoOne core challenge is a shortage of qualified teachers for certain license areas, notably bilingual special education teachers and secondary special education teachers,&rdquo the report said. &ldquoThe DOE is actively seeking to address this challenge through large scale and targeted efforts to expand our special education pipeline, engagement with union partners, and work with the New York State Education Department to revisit policies and identify new strategies to increase the availability of appropriately trained and certified teachers.&rdquo

The DOE also has long had problems tracking IEPs through its custom-made program Special Education Student Education System (SESIS), which led to a lawsuit from the Public Advocate&rsquos office.

The city is now investing $16.2 million to improve the system over the next several years.


9 Favorite Foodie Destinations on Route 66

Route 66, the mythic gateway road that led from Lake Michigan to the Pacific Coast, was in danger of being completely forgotten in the late 20th century as super highways replaced the main artery in each state. But in recent years there has been a resurgence of interest in the “Mother Road” as business owners, preservationists and travelers have banded together to save and support some of the route’s most famous landmarks.

Route 66: America's Longest Small Town

This is the book cover to a history of Route 66 by Jim Hinckley with photos by Jim and Judy Hinckley.

A new book, Route 66: America’s Longest Small Town by Jim Hinckley, is a photographic journey that travels from Chicago, Illinois to Santa Monica, California and serves as both a history of the iconic highway as well as a welcome update on the attractions and businesses that are still in operation and thriving such as local diners, fast food drive-ins and rustic steakhouses.

Thanks to this book you can map out a Route 66 road trip and experience some of the delicious cuisine and comfort foods that travelers have enjoyed along the highway for decades. Here is just a small sampling of the book's foodie mainstays that you can visit as you wander from Illinois to California.

Lou Mitchell’s Bakery and Restaurant

Lou Mitchell's Restaurant & Bakery

This iconic Chicago eatery, located on the fabled Route 66, has been in operation since 1923 and is a particularly popular breakfast destination.

Located at the beginning of Route 66 on 565 W. Jackson Boulevard in Chicago, this local landmark has been in operation since 1923 and, as their exterior sign proudly proclaims, “Serving the world’s finest coffee.” Breakfast is their specialty and the locals rave about the jumbo omelets, fluffy pancakes, malted Belgian waffles and fresh squeezed juices (orange and grapefruit). Continuing a long-standing tradition of hospitality, Lou Mitchell's offers arriving patrons complimentary doughnut holes and milk duds. Could this inspire a new trend?

The Berghoff Restaurant in Chicago

A city favorite since 1989, this landmark establishment on Route 66 is still in operation, serving up German-American specialities like wiener schnitzel and creamed spinach.

Another Chicago institution, this family run restaurant can lay claim to being the oldest eatery on Route 66 that has been in almost continuous operation since 1898. Located in the city’s theater district, the Berghoff is famous for its German-American cuisine and an atmospheric interior of dark wood, stained glass and gold lamps. Among the popular dishes are the Kartoffelsuppe Mit Thuringer (Munich style potato soup with smoked Thuringer), wiener schnitzel, duck strudel, creamed spinach and Black Forest cake. Despite the old school ambiance, the Berghoff’s menu includes plenty of contemporary touches such as gluten-free dishes and a range of craft beers.

The Cozy Dog Cafe

Famous for its "cozy dogs" (weiners baked in cornbread on a stick), this road food icon is still in operation in Springfield, Illinois.

Ed Waldmire and his wife Virginia expanded a hot dog stand business into three locations in Springfield, Illinois in the late Forties which featured their famous hot dog on a stick - the Cozy Dog (a weiner baked in cornmeal). Eventually the Cozy Dog Drive-In, which was established in 1949 and located on Route 66’s South Sixth Street, became their main focus. Although it moved into a new location next door in 1996, the fast food legend continues to serve up its signature dog along with burgers, fries, sandwiches (ham and egg, grilled cheese, etc.) and breakfast items.

Waylan's Ku Ku Burger

The famous green and yellow neon sign still adorns this popular Route 66 mainstay in Miami, Oklahoma which still boasts the best burgers around.

When driving through Miami, Oklahoma keep a lookout for a towering green and yellow neon sign bordered by a cuckoo bird in a chef hat and a soft serve vanilla cone. Welcome to Waylan’s Ku Ku Burger, a must-visit destination for hamburger aficionados since 1965. Their juicy quarter pound Ku Ku burger that comes on a toasted bun with all the trimmings is still the main lure but be sure to try one of their classic malts, milk shakes or soft serve ice creams.

Big Vern's Steakhouse and Saloon

The best place to get a classic grilled steak with all the fixings in Shamrock, Texas is this popular Route 66 institution.

If you happen to find yourself in Shamrock, Texas and smell the enticing aroma of grilled meat, then you are probably in the vicinity of Big Vern’s Steakhouse on 12th Street. A longtime favorite among Route 66 sojourners, Big Vern’s is famous for their ribeye, New York strip and filet mignon dinners. Diners also rave about their homemade beer bread, crisp green salads and fruit cobblers.

El Comedor De Anayas Restaurant

El Comedor Restaurant

This popular Tex-Mex restaurant in Moriaty, New Mexico is easy to find on Route 66. Just look for the towering neon rotosphere outside the restaurant.

For years this family-owned Mexican restaurant was a place to stop for lunch or dinner on Old Hwy 66 in the tiny town of Moriarty, Texas. Distinguished by the iconic neon rotosphere outside the restaurant, the no-frills interior is frequented by folks with an appetite for authentic chile rellenos, enchiladas, tamales and taco salads. Although El Comedor has recently changed management and their name (it is now called El Rey Comedor), it continues to serve the traditional cuisine that made it an essential stop on the drive out West.

Western View Diner & Steakhouse

Western View Steak House & Coffee Shop

In operation since 1937, this popular community restaurant in Albuquerque, New Mexico serves up classic roadhouse food like triple decker sandwiches.

When you enter this landmark roadhouse on Central Avenue NW in Albuquerque, New Mexico, say goodbye to the outside world and hello to 1937, the year Western View Diner & Steakhouse first opened. The ambiance and the daily fare hasn’t changed much since then which is probably why it remaina a community favorite. Enjoy triple-decker sandwiches, green chile chicken soup, beef tips over noodles or the special house dessert - Bavarian cream berry pound cake. And breakfast is served all day.

Miz Zip's Cafe

Hamburgers and homemade pies are the main attraction at this Route 66 landmark in Flagstaff, Arizona.

First-rate comfort food served in a cozy, informal setting has always been the allure of this Flagstaff, Arizona institution that is well known for its burgers and homemade pies. Miz Zip's was opened in 1952 by Norma and Bob Leonard and continues to serve classic American diner food but some folks drop in just to order pie a la mode from a tempting selection of daily offerings.

The Sycamore Inn Steak House

The Sycamore Inn Steak House

Located in Rancho Cucamonga, California, this rustic restaurant has been a fine dining establishment since 1848 and specializes in steaks and seafood.

Dating back to 1848 the Sycamore Inn in Rancho Cucamonga, California was first a tavern and post office, then a stop for the Butterfield stagecoach and finally a steak house that enjoyed a steady stream of customers from Route 66 during its heyday. Today the landmark location is a fine-dining establishment with such classy fare as oysters Rockefeller, rack of lamb, porterhouse steak, Australian lobster tail and Grand Marnier souffle. There is also an excellent wine bar and a full range of craft cocktails from Pear Flower Martinis to Rye Manhattans.


Assista o vídeo: Daily vlog - kocia kawiarnia we Wrocławiu (Dezembro 2021).